Apaixonada pela profissão, Cláudia é a primeira mulher motorista de ônibus de Alegrete


“A mulher pode tudo o que ela quiser, se é o que ela tem vontade, tem que correr atrás, perseverar e não pode desistir”. O ensinamento vem de Cláudia Marisa Pereira da Costa, primeira mulher a ocupar a função de motorista de ônibus coletivo na história de Alegrete.

Desde que entrou para a empresa Vaucher Transportes  em 11 de agosto de 2003, Cláudia se empenhou em fazer o seu melhor. Iniciou como cobradora. Função que exerceu durante um ano e meio.

“Aprendi muita coisa. Conheci pessoas. O trabalho é feito com amor. No respeito com as pessoas”, comenta a mulher de 39 anos que não descuida da beleza. Gosta de estar maquiada e cabelo hidratado.

Com o segundo grau completo, a alegretense sentiu uma vontade imensa de exercer o cargo de motorista.

“Sempre amei dirigir. E chegou a hora de encarar mais um desafio”, conta sorridente da conquista.

Cláudia não teve medo. Procurou a direção da empresa e revelou o interesse na mudança de função.

O que ela achava ser um obstáculo se tornou mais um passo em sua carreira. A empresa deu o maior apoio e assim de forma pioneira é a primeira mulher motorista de transporte coletivo de Alegrete.

Hoje existem mais mulheres no volante. Mas, Cláudia foi a primeira a dirigir um carro de passageiros pelas ruas da 3ª Capital Farroupilha.

Abriu caminho para as demais, e até em outra empresa já existe o público feminino dirigindo nas diversas linhas do município.

Conta que recebe elogios. “Foram vários, graças a Deus”, orgulha-se. Mas também recebe cantadas. Com uma filha de oito anos, Cláudia está namorando. Diz que se acostumou. Leva na esportiva. “Claro que as cantadas sempre vem, mas o meu profissionalismo sempre foi a minha base”, rebate a motorista da linha Medianeira /Nova Brasília.

Dirigindo no turno da tarde, ela começa o percurso às 13h, e só desliga o motor por volta das 20h. Inicia com o cabelo solto, batom delineado, óculos escuro. Na primeira volta, após cumprir o primeiro horário. O sol forte, a temperatura alta obriga a motorista a atar o cabelo, arremangar a camisa e o suor teima em desfazer a maquiagem. Mas ela dribla as dificuldades com bom humor. Cumprimenta um por um. Cada passageiro é saudado pela sorridente Cláudia.

Nem os buracos das ruas são capazes de tirar o humor da primeira motorista de ônibus do transporte coletivo de Alegrete.

“As dificuldades e obstáculos fazem parte do dia a dia de todos nós, mas a cada dia vencido é mais um dia de experiência”, destaca a profissional.

Filha do casal Claudete Pereira da Costa e Walter Elizeu Pereira da Costa, Cláudia cumpre uma jornada de segunda à sábado. Agradece pela vida, pela oportunidade recebida dos diretores da empresa Vaucher, por dar um imenso apoio às mulheres.

Cláudia não conhece a palavra preconceito. Trabalha numa empresa com número elevado de mulheres, inclusive na parte administrativa. Se diz grata ao empresário Gílson Moura Vaucher.

“Eu mostro para as mulheres que nós somos capazes. Não é porque sou mulher que eu não sou capaz de fazer o que eu quero. Todas nós somos capazes de dirigir um carro desse tamanho, desse porte. Então eu acredito que ajudo as mulheres para que elas se espelhem em mim, vendo que eu consegui estar num lugar que eu gosto tanto”, disse Cláudia.

 

Por: Júlio Cesar Santos                                 Fotos: Júlio Cesar Santos e arquivo pessoal


Curta nossa Fan Page


Comentar com Facebook

4 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *