Bezerro nasce com anomalia rara em Alegrete




São casos raros, mas acontecem diz a médica veterinária, coordenadora do Curso de Medicina Veterinária da URCAMP, Adriana Stinger, o fato de um bezerro se gerar de forma inversa.

Para se entender, explica que ele se gerou como se fosse do avesso e com cinco patas. A anomalia congênita chama-se Schistosmus Reflexus em que o animal se gerou com dorsoflexão da coluna, exposição das vísceras, além de cinco patas, sendo uma atrofiada.

Esta anomalia acontece, de acordo com a veterinária, por vários fatores, mas o principal é devido ao cruzamento de consanguinidade de pai com filho ou filho com filho. Mas também pode ser por ingestão de plantas tóxicas ou substâncias químicas, por parte da vaca, diz a veterinária.

A vaca entrou em trabalho de parto e como não conseguia parir, a dona do animal, Mauren Vasconcelos junto com Paulo Oliveira Junior, ambos veterinários, fizeram a cesariana, na propriedade que fica no Itapevi. Daí se deparam com a anomalia.

O feto foi trazido para o laboratório do curso de veterinária da URCAMP, onde foi feita a necropsia, por sete jovens do sétimo semestre do curso, e agora o animal vai servir para estudos de todos os acadêmicos.

Relata Stinger que o primeiro caso de que tem conhecimento em Alegrete foi há uns dez anos, o que demonstra não ser comum. Já em rede social houve o relato de outro caso semelhante aqui no Município em 2015. E ainda outro há sete anos no interior de São Paulo.

A equipe de acadêmicos que realizou a necropsia: Thalia Carvalho, Amanda Rosado, Sacha Oliveira, Mara Luiza, João Curi, Natali Rocha e Felipe Maidana. “Fechamos o semestre com chave de ouro”, disseram.





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

1 Comentário

  • paulo renato oliveira gonçalves

    Parabéns ao meu filho e nossa colega que realizaram a cesariana. Pena que não estão na foto. Esse é o exemplo deveria ser dado por todos os veterinários que se deparam com casos raros, para que sejam utilizados em estudos e práticas dos futuros profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *