Cadica, autêntica mulher gaúcha e alegretense



Cláudia Pereira Costa é mãe, empresária, coreógrafa, atriz, professora e bailarina.

A entrevista é agendada. Por telefone avisa que está saindo de Porto Alegre para Alegrete. “Estou te levando um livro de presente conversamos na semana, pode ser ?”, assim combinamos o papo desta reportagem.

Diretora da escola Cadica Danças e Ritmos, que engloba diversos estilos de danças, graduada em Comunicação Social Publicidade e Propaganda pela Unisinos e Pós-graduada em Dança pela PUC, Cadica é polivalente.

Sua Cia de Dança participou de importantes eventos, projetos e espetáculos com shows flamencos, gaúchos e fusões de diversos ritmos. A Cia viajou também por vários países como Coréia do Sul, Portugal, China e Rússia representando a cultura Brasileira.

Foi 1ª prenda do CTG Farroupilha em Alegrete e coordenou invernadas mirim e juvenil durante dois anos. Participou do grupo “Muripás”, Latino Danza Show com Elza Miño e Norton do Carmo e dançou com o argentino Índio Olegui e Miriam.

Nestes 22 anos de trajetória mostrou ao mundo a nossa tradição e garra. Foi homenageada pela Escola de Samba Astros de Alvorada, onde foi o tema do samba enredo.

Na área de desenvolvimento Humano, começou seus estudos em 2009 e desde lá fez vários cursos, em diferentes institutos. Tem Formações em: Trainer em PNL (Practitioner, Master e Trainer), Coaching em PNL, Coaching Integrativo Sistêmico e Renascimento.

Cadica vem desenvolvendo estudos e trabalhos relacionados à Dança e PNL em pequenos Workshops.  Já apresentou durante os dois anos que esteve no Metaforum o workshop de sua autoria “Xápralá e Vempracá”. Já há dois anos também ministra um workshop só para mulheres chamado “Feminina e Especial, Sensual e Elegante”, e planeja outros para Homens e Mulheres “Postura Elegante”, e um novo, chamado “Transfordance” que já é um curso para 2 a 3 dias intensivos.

Mas a alegretense parece fazer sentido no popular ditado. “Quem bebe água do Ibirapuitã acaba voltando”, e foi justamente isso que aconteceu.

Cadica retorna ao Alegrete em 2017. Vai desempenhar suas atividades aqui em paralelos com a Cia na Capital. O namorado foi um dos responsável pela volta aos pagos e a amizade com Jaqueline Zacarias.

Já ministra aulas só para mulheres em Alegrete, não descarta desenvolver o flamenco daqui a alguns meses.

Cadica lembra com nostalgia do festival Dança Alegre Alegrete. Em 1998 apresentou-se com a sua Cia de Dança, o Canto Alegretense. Também relembra da despedida de Maria Walesca de Alegrete.

As andanças pelo mundo e as diversas apresentações deixaram a dama do sapateado e das castanholas mais experientes ainda.

Agora ela quer instigar através da dança a qualidade de vida, o desabrochar feminino. Fala da importância do homem na dança, quer a participação de todos.

A parceria com sua eterna amiga e colega professora Jaque é a reconstrução de um caminho vitorioso e exemplar.

Não descarta a Cia Cadica Danças e Ritmos e Balerina numa apresentação na 3ª Capital Farroupilha.

A mais nova coach, professora de dança, palestrante e bailarina seguiu o rumo do seu próprio coração.

Por: Júlio Cesar Santos         Fotos: acervo pessoal







Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *