Desapropriações duplicação das BRs fica para 2018




Dnit não dá prazo, mas informa que o Viaduto do Castelinho deve ser liberado em breve

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) está prevendo que as negociações para desapropriações de imóveis e terrenos para a duplicação da Travessia Urbana de Santa Maria ocorram somente em 2018. O motivo: é preciso ter garantia de verbas para pagar as indenizações para só depois poder chamar os proprietários de imóveis para negociações na Justiça Federal.

Como a liberação de dinheiro para a Travessia Urbana ocorreu em ritmo mais lento do que o previsto inicialmente, o Dnit acabou priorizando fazer a obra em trechos que não dependiam da retirada de empresas ou casas. Só que, a partir de agora, restará fazer a construção dos viadutos, passarelas, pontes e a pavimentação dos trechos onde há imóveis. Por isso, chegará um ponto em que não será possível esperar mais.

O Dnit não divulga novas estimativas, mas no passado, chegou a informar que seriam cerca de 130 imóveis que precisarão ser total ou parcialmente desapropriados. Porém, quem já havia sido indenizado e não abandonou os terrenos nos anos 1970, quando foi construída a atual BR-287, de Santa Maria a São Pedro do Sul, corre o risco de não receber nada agora, pois há documentos arquivados daquela época.

Viaduto do Castelinho deve ser liberado em breve

O viaduto do Castelinho está praticamente pronto. Para que ele seja liberado ao trânsito, falta apenas ligar a iluminação e pintar a sinalização no asfalto, o que deve ocorrer nos próximos dias, se não ocorrer nenhum imprevisto. O Dnit só vai divulgar uma data de liberação quando houver certeza de que tudo estiver certo.

Fonte: Diário de Santa Maria

Foto: Deni Zolin / Agência RBS





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *