Donos de restaurantes apontam os campeões de alta nos supermercados

Os donos de restaurantes, que todos os dias precisam comprar itens de alimentação para preparar refeições, são os que melhor sabem dizer como está a inflação neste início de 2018.

Em três restaurantes pesquisados todos dizem o quanto subiu o coraçãnzinho de galinha. No final do ano passado relatam que compravam o quilo por nove reais. Agora foi para 19, mais de 100% de aumento.

Alguns que servem peixe nas refeições dizem que essa carne também subiu. O que valia entre 14 e 15 reais o quilo no final de 2017, agora saltou para 19 reais. E a carne se mantém alta e não baixa nunca, fala um empresário do ramo.

Outro item que mantém alto o preço e que é bastante usado em molhos ou saladas é o tomate.  Alguns dizem que o preço de uma caixa de 20 quilos do produto chega a custar 80 reais, sendo que no final do ano passado compravam por até 60 reais.  Este produto vem do Ceasa, de Porto Alegre, e tem seu custo alterado a cada semana.

Aliado a isso, citam o preço do gás, com um botijão de 13 quilos valendo no mínimo 70 reais. E do litro da gasolina, a quase cinco reais, dispara um empresário de Restaurante, ”  encarece nossos custos, porque todos precisamos nos deslocar para abastecer nossas empresas”.

Até o momento informam que não repassaram os custos do que aumentou para o consumidor. Entre os três restaurantes pesquisados,o quilo da refeição varia de 38 a 43 reais.

 

Vera Soares Pedroso

Curta nossa Fan Page

2 Comentários

  1. Bem igual a inflação anunciada pelo governo. A inflação de 2017 devem ter trazido o resultafo de outro Brasil de outro galáxia. Já nem pensam mais que o povo e trouxa, eles tem certeza .

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*