“Dudu”, o guri com sangue alegretense é revelação no Velocross gaúcho


O Campeonato Gaúcho 2017 de Velocross teve 7 etapas, Eduardo Telles Braga conquistou a 2ª posição em 6 etapas e 3º, em uma etapa.

“Foi um campeonato longo, muitas viagens cansativas devido às distancias dos locais das provas, mas consegui manter a regularidade, na última etapa em Marau”, conta o guri que nasceu em Santa Maria mas possui uma forte ligação com Alegrete.

Afinal, a totalidade de seus familiares é da 3ª Capital Farroupilha. Alegrete tá no sangue. É aqui que treina muitas vezes, aqui que possui uma legião de amigos e é aqui que se sente em casa junto aos familiares.

Aos 10 anos, é categórico. Avaliou a forma em que conquistou o título gaúcho desta temporada. “Estava com 7 pontos de vantagem, em relação ao segundo colocado, tive problemas na motocicleta pouco antes da prova, o que me tirou qualquer possibilidade na luta pela vitória, mas fui para a pista focado no campeonato, dando o melhor de mim, conseguindo assim, conquistar o título de Campeão Gaúcho de Velocross na Categoria 50CC”, comenta o piloto Eduardo.

Agradece a todos que torceram, aos pais, familiares que moram em Alegrete, ao pessoal do CT Velocross Alegrete, pista onde costuma treinar. Aos companheiros de equipe, Bruno Telles Braga, Jordan Martini, Fernando Sanches, Jader Martini e Franck Bordignon e ao chefe de equipe, Guilherme Bessa.

Eduardo Telles Braga da moto #114 é patrocinado pela Escola Mundo Encantado, Terra Grãos Corretora de Cereais, Auto Giro Veículos, Team Jordan Racing, Veritas Gráficos para Motos.

Num papo descontraído, o atleta atendeu a reportagem do Portal Alegrete Tudo. Confira a entrevista:

Portal: Lembra da primeira que vez que subiu numa moto ?

Dudu: Sim, eu tinha 6 anos, quando ganhei um motinho de 49cc, de Páscoa. Lembro muito bem, subi e saí enlouquecido (risos), foi minha primeira volta e meu primeiro tombo também (risos).

Portal: Como iniciou a competir. Recebeu algum incentivo ou já era desejo ?

Dudu: Comecei vendo meu irmão Bruno, aí tive vontade também e falei para meus pais. Eles gostaram da ideia na hora.

Portal: O velocross tem um risco muito grande de quedas. A adrenalina é alto. Como tu concilia tudo isso acelerando forte pelo RS afora ?

Dudu: Durante as provas, procuro me manter concentrado o máximo possível, foco o olhar na pista. Se for mudar e olhar para o lado só onde sei que está meu pai para me passar instruções. Às vezes a moto dá umas desgarradas, mas com o tempo você vai aprendendo a corrigir e não se assustar.

Portal: Iniciaste cedo no esporte. Tua habilidade é notória. Qual é o teu objetivo no velocross ?

Dudu: Este ano saí campeão estadual na minha categoria, já possuía o título de vice campeão estadual e vários regionais, pretendo me qualificar cada vez mais, para poder brigar por mais títulos.
Portal: E os estudos ? Dividir o tempo com treinos, competições e estudo não é fácil, Como o Dudu consegue estudar e pilotar a máquina ?

Dudu: No inverno é mais difícil conciliar tudo isso. Como anoitece mais cedo, os treinos tomam conta do final de semana inteiro. No verão, já é possível realizar treinos durante a semana, no final de cada dia.

O mais difícil são as segundas-feiras após finais de semanas de corrida. Como estudo no turno da manhã, sair da cama é um sacrifício, mas sei que é muito importante estudar, por isso não me descuido.
Portal: Em Alegrete temos vários motociclistas de destaque na modalidade. O mais novo é tu. Como tu avalia este ano de 2017 para os pilotos alegretenses ?
Dudu: Acompanhei o Pretto, a Mariana e o Mica no estadual, e este ano por detalhe que o Pretto não trouxe mais um titulo estadual para Alegrete. Se não fosse uma quebra em Dom Pedrito ele seria o campeão.

Portal: E 2018, qual é o objetivo do Eduardo Telles Braga ?
Dudu: Em 2018, troco de categoria, saio da 50cc e vou para a 65cc. No campeonato estadual, esta categoria é bem competitiva, algumas provas chegam à ter 20 motos, meu objetivo é estar entre os 5 primeiros no final do campeonato.

Portal: Qual a maior dificuldade que tu encontra a cada competição ?

Dudu: Com certeza as pistas diferentes e as viagens que são longas.

Portal: O campeonato gaúcho é longo. Entre as provas oficiais existem outros eventos paralelos. Como tu monta teu calendário de competições. Existe uma equipe, patrocinadores por trás de tudo isso ?
Dudu: Ah sim, temos uma equipe. Viajamos juntos para competir o estadual, Bruno Telles Braga, Jordan Martini, Fernando Sanches, Jader Martini, Franck Bordignon, Taís Knies e o nosso chefe de equipe Guilherme Bessa. Durante o intervalo das provas do estadual, costumo competir em provas regionais, tenho o apoio da Escola Mundo Encanta, Terra Grãos Corretora de Cereais, Auto Giro Veículos, Team Jordan Racing e Veritas Gráficos para Motos.

Portal: Se tu tivesse que deixar uma mensagem para os jovens que sonham se tornar um piloto de velocross. Qual seria ?
Dudu: Por mais dificuldades, não desistam, pois vale muito o sacrifício, é muito bom competir, uma sensação sem explicação. Atualmente no nosso país está muito difícil praticar esportes, mas vale muito a pena.

 

Por: Júlio Cesar Santos            Fotos: Arquivo pessoal


Curta nossa Fan Page


Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *