Em Santa Cruz do Sul, paradão de ônibus tem ar-condicionado, bebedouro e internet


Colunista Deni Zolin fala sobre estrutura que custou R$ 50 mil


Foto: Divulgação (Prefeitura de Santa Cruz do Sul)

Ao ver essas fotos, que inveja que deu de Santa Cruz do Sul. A prefeitura de lá vai inaugurar na sexta-feira o que chama de a paradão de ônibus mais completa do Brasil. O abrigo, instalado na Rua Tiradentes, um dos principais pontos de embarque e desembarque do Centro de Santa Cruz, tem ar-condicionado e iluminação, oferecendo também aos usuários internet sem fio, bebedouro, carregador de celular, câmeras de videomonitoramento, tela que avisa em tempo real a chegada dos ônibus e acessibilidade.

Para completar, é toda envidraçada, com película de proteção infravermelha, e tem placas de energia solar que vão gerar uma economia de 70% com luz. O abrigo, que tem 11m70cm por 3m50cm, possui 70% da área fechada e 30% do espaço aberto, para as pessoas que não gostam ou não podem ficar em ambientes refrigerados.

 

Mas quanto custou? Não foi barato, mas não é um valor absurdo. Segundo a prefeitura de Santa Cruz, foram gastos R$ 50 mil, com verbas do município. A obra integra o plano de modernização das paradas de ônibus. Outras quatro do mesmo modelo deverão ser instaladas em Santa Cruz.

Temos de sonhar, mas antes, fazer o básico
Por que Santa Maria não pode fazer a mesma coisa, ao menos nos dois paradões da Avenida Rio Branco e no da Rua do Acampamento, onde há o maior fluxo de pessoas? Claro que custaria mais do que R$ 50 mil, pois são paradas bem grandes. Mas mesmo que custasse R$ 500 mil, seria um dinheiro bem investido, já que atenderia grande parcela dos usuários de ônibus da cidade.


Foto: Divulgação (Prefeitura de Santa Cruz do Sul)

Porém, antes de pensar em um abrigo de ônibus com ar, bebedouro e internet, como em Santa Cruz (fotos), precisamos cair na realidade e exigirmos abrigos decentes por toda a cidade, principalmente na periferia, onde os usuários têm de esperar no relento, sob sol ou chuva. Se a prefeitura não tem dinheiro, porque não propor uma parceria público-privada, em que empresas instalassem os abrigos em troca de publicidade?

Há outro problema que é o vandalismo, já que um abrigo com ar-condicionado talvez não durasse muito tempo aqui. Mas se formos pensar nisso, nunca faremos nada.

Fonte: G1


Curta nossa Fan Page


Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *