Filipi Coelho: o alegretense do #SeguimosSonhando mostra seu talento

No último dia 27, Filipi realizou o pré-lançamento do seu mais novo trabalho: #SeguimosSonhando.

Dividiu o palco com outro talento alegretense, Gui Mendes que também fez seu pré-lançamento do álbum Nossa História.

Com uma banda de músicos consagrados, o projeto #SeguimosSonhando conta a história e a influência da musicalidade na vida de Filipe, desde guri, criado na zona rural do município.

Baseado em música regional gaúcha, com influência globalizada, Filipi Coelho colocou um ritmo aprazível aos ouvidos e apreciadores da boa música do Rio Grande.

Foram meses de trabalho e o pré-lançamento agradou o público que lotou o Centro Cultural. Filipe revela um talento com uma trup de músicos que tem na guitarra Kiko Bragamonte, Adriano Duarte nos teclados; Gustavo Vilaverde no acordeon; Edinho Dorneles na bateria e ele nos vocais e baixo.

Nascido em 1987, o alegretense Filipi Coelho, teve sua inserção à cultura gaúcha desde muito cedo, incentivado por seus pais, Clóvis e Madeleine Coelho.

Com apenas 10 anos já integrava o grupo de danças do CTG Aconchego dos Caranchos, onde se apaixonou pela música.

Aos 14 anos recebeu um convite do professor Rodrigo Guterres ( Bolinha), para integrar o musical de invernadas do DTG do Clube Juventude. No DTG Filipi começou a obter uma maior projeção no cenário musical folclórico do RS.

Arrematou premiações como melhor musical de invernadas de dança por várias vezes, e melhor interprete do ENART no ano de 2011.

Em 2015, acompanhou o projeto pioneiros pelo mundo com o grupo de danças de Canarama-MT, nos festivais da Europa, ( França e Polônia), foram 20 dias de turnê pelo interior da Polônia, gerando a possibilidade de novos encontros musicais, com músicos de vários países, Polônia, Alemanha, Turquia, Taiwan, Canadá, Itália, entre outros.

Integrou o grupo Os Calavera, onde iniciou contato com produção musical, convivendo com uma gama maior de artistas do RS, entre eles, Tulio Urach, Pirisca Grecco, Paulinho Goulart, Jairo Lamabari e tantos outros. Produziu o disco DTG Juventude 10 anos, e “O Rádio Lá de Casa.

Com o passar dos anos transitou por vários cenários musicais, mas sempre com base na cultura rio-grandense.  Foi consagrado campeão e melhor intérprete da primeira edição do Canto Farroupilha, e nos anos seguintes obteve premiações como melhor instrumentista e novamente melhor interprete.

Campeão com a música Obra Prima, no ano de 2012, sendo autor de letra e melodia. Hoje atua como músico de invernadas de dança por todo o Brasil, trabalhando ao longo nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Seguimos Sonhando é mais que um trabalho digital, no site o trabalho já pode ser visto como um diferencial inédito em Alegrete. Ao vivo, Filipi prova e comprova que podemos seguir sonhando com a boa música regional gaúcha aliada a um timbre que faz bem a alma.

Por: Júlio Cesar Santos                Fotos: Lorran Perry e Filipi Coelho (divulgação)





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *