Gurizada de Alegrete que joga pelo Cruzeiro terá que vencer em Carazinho




O Cruzeiro perdeu o primeiro jogo da final do Estadual Sub-15 de futsal, mas, mesmo com a derrota, não existe sinal de casa arrasada. Pelo contrário. A direção cruzeirense acredita na reversão do quadro, mesmo jogando nos domínios da Sercesa, no próximo dia 21. Para isso, o treinador Noninho Menezes terá duas semanas para preparar física, tática e psicologicamente os atletas do time de São Gabriel.

A gurizada de Alegrete segue confiante num resultado positivo. Mauricio Bandeira, Marcos Hahn, José Rubem, Vinicius Arrussul, Rudimar Lima, Cleber Júnior, Matheus Menezes e João Fernando, tiveram um apoio extra no final de semana. Com uma torcida formada pelos pais e familiares, eles foram incentivados o tempo todo no Chiapettão.

Em quadra, na noite de sábado (7), o Cruzeiro dominou 90% do tempo de jogo. Mas foram exatamente os 10% da Sercesa que decidiram a partida. O time gabrielense levou dois gols em cerca de 3 minutos. O time se abalou e quando retomou o domínio da partida, se deparou com uma muralha no gol adversário. O goleiro Chico, da equipe de Carazinho, foi o grande destaque do jogo e responsável pela vitória de 3 a 2.
O Cruzeiro abriu o placar antes dos 10 minutos de jogo. Numa boa triangulação, Maurício ficou cara a cara com o goleiro Chico e chutou forte, no canto superior, para marcar 1 a 0.

O jogo seguiu num ritmo frenético, com as duas equipes criando e perdendo oportunidades. De um lado, o goleiro Cléber Júnior garantiu que o placar permanecesse inalterado. Dou outro, a Sercesa contava que a falta de pontaria do ataque cruzeirense. Depois de perder duas chances claras, o Cruzeiro encerrou a primeira etapa com a impressão que poderia ampliar o escore se caprichasse na definição das jogadas.
O segundo tempo começou e a Sercesa mostrou porque está na decisão. O time de Carazinho voltou melhor e mais determinado. Depois de levar perigo duas vezes ao gol de Cléber Júnior e acertar um chute na trave, veio o balde de água fria: Adão Vitor chutou rasteiro, entre dois jogadores, marcando o gol de empate.
Minutos depois Lucas Rossato, marcou o segundo, e Cleiton Cardoso, o terceiro.
A Sercesa vivia o melhor o momento no jogo: 3 a 1. Já o Cruzeiro teve que esfriar a cabeça. Noninho Menezes aproveitou o tempo técnico para organizar o time e reanimar a gurizada.

Deu certo. O Cruzeiro voltou a mandar no jogo, mas, sem muita sorte na frente. Todas as jogadas de ataque pararam nas defesas de Chico. E quanto a bola não aparava nas mãos dele, era porque o Cruzeiro havia desperdiçado a chance concluindo para fora.
Já com o goleiro Pedro Barros no time, para aproveitar a qualidade no chute dele, o Cruzeiro escapou de sofrer o terceiro gols, num erro dele mesmo, que se enredou com a bola no meio de quadra.
Na sequência, foi a Sercesa que errou. Vinícius aproveitou e descontou: 2 a 3. O Cruzeiro ainda ameaçou uma pressão, mas o time de Carazinho conseguiu garantiu o resultado e vantagem para o jogo de volta.

ÚLTIMO JOGO
O Cruzeiro sabe que para chegar ao título terá que vencer, pelo menos, no tempo normal a equipe da Sercesa, em Carazinho, no dia 21 de outubro.
Se conseguir esse feito, o time gabrielense terá ainda pela frente dois tempos de prorrogação e, desta vez, sem vantagens. Quem vencer, leva o título. Caso contrário, o campeão será definido na cobrança de penalidades.
Em São Gabriel, ninguém se dá por vencido. “O jogo foi equilibrado. Assim como eles venceram aqui, nós podemos vencer lá”, disse o dirigente do Cruzeiro, Eduardo Saldanha.

Colaboração: A Notícia on line





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *