Hospital de Caridade de Jaguari receberá R$ 1 milhão para construir nova unidade


Primeiro centro de cuidados integrados do Estado deve abrir em 2019

Foto: Prefeitura de Jaguari (Divulgação)
Hospital municipal terá 25 leitos exclusivos para reabilitação de pacientes com sequelas de processos clínicos e cirúrgicos

Unidade de Cuidados Continuados Integrados (CCI) do Hospital de Caridade de Jaguari deve começar a funcionar em 2019. A previsão é do prefeito do município, Beto Turchiello (MDB), que nesta quarta-feira assina o convênio com o governo do Estado de liberação de R$ 1 milhão para início das obras de adequação do complexo hospitalar.

A portaria que autoriza a transferência do recurso ao Fundo Municipal de Saúde de Jaguari foi assinada na segunda-feira pelo secretário estadual da Saúde, João Gabbardo dos Reis. Segundo Turchiello, na semana que vem a prefeitura irá encaminhar o processo de licitação para escolha da empresa que fará as obras no hospital. A meta é começar o serviço ainda no primeiro semestre, com conclusão até o final deste ano.

A adequação prevê a adptação de 25 dos 52 leitos do hospital para destinação exclusiva ao CCI. Também serão construídos um refeitório, consultórios e áreas destinadas a fisioterapia e convivência.

Todo o atendimento na nova unidade será via Sistema Único de Saúde. A Unidade de Cuidados Continuados Integrados será a primeira no Rio Grande do Sul, e terá como objetivo prestar cuidados para pessoas na reabilitação integral e na adaptação a pacientes que ficaram com sequelas de processos clínico, cirúrgico ou traumatológico.

O projeto do CCI é do Ministério da Saúde, que destinará todos os meses R$ 145 mil ao Hospital de Caridade para cobrir as despesas com o atendimento. Segundo o prefeito Beto Turchiello, todos os funcionários da instituição de saúde já foram treinados para o serviço.

ADMINISTRAÇÃO

Em 24 de fevereiro, a prefeiturá irá abrir as propostas das empresas que se candidataram para a administração do Hospital de Caridade, que pertence ao município. Atualmente, a gestão é feita em caráter emergencial por uma empresa de Passo Fundo.

Fonte: Diário de Santa Maria


Curta nossa Fan Page


Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *