Intoxicação em Livramento: marca de chocolate era tradicional e não havia sinal de embalagem violada




Delegada acredita que substância venenosa tenha sido injetada nas barras de chocolate

A hipótese de que uma substância venenosa tenha sido injetada nas barras de chocolate que intoxicaram quatro pessoas na noite da última quarta-feira (9), em Santana do Livramento, na Fronteira Oeste, ganhou força depois que a polícia realizou uma análise preliminar nos alimentos. Conforme a delegada Giovana Muller, as barras eram de uma marca de chocolate tradicional no mercado.

O produto não estava vencido e a embalagem não havia sido violada até o consumo do chocolate. A perícia vai apontar como o alimento foi contaminado.

A polícia também já possui imagens de câmeras de monitoramento que ficam próximas ao Viaduto do Armour, lugar onde a bolsa com os chocolates foi encontrada. A intenção é descobrir quem deixou o objeto no local e, assim, descobrir a origem das barras. Até o momento, nenhum suspeito foi identificado.

Segundo Giovana Muller, foi a mãe de três dos jovens quem encontrou o estojo com os chocolates e o levou para casa. Ela teria guardado o alimento na geladeira. No outro dia, Felipe de Oliveira do Espírito Santo, 24, Fabiele Cristina da Silva Borges, 25, o militar do Exército Andrey Gomes Pereira, 18 anos, além de um adolescente de 16 anos encontraram e ingeriram os alimentos.

Ainda segundo a polícia, eles ainda estão internados em hospitais da região, mas não correm risco de morrer.

Fonte: GAÚCHA





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *