Justiça quer resgatar história do juiz assassinado ao tentar evitar fraude em eleição




Caso aconteceu nas eleições municipais de 1936 em Santiago

Foto: Márcio Brasil/ Prefeitura de Santiago

O Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RS) quer resgatar a história de um defensor da democracia. Em um trabalho de pesquisa, o jornalista João Batista Santafé Aguiar, que integra o Departamento de Memória do TJ-RS, busca relembrar o trágico desfecho do juiz eleitoral Moisés Antunes Viana, que morreu assassinado ao tentar impedir uma fraude nas eleições de 1936 em Santiago. A atitude do magistrado é considerada um ato heroico, que o tornou patrono da Justiça Eleitoral gaúcha.

 

Na semana passada, o jornalista esteve visitando a localidade de Florida, interior de Santiago, em que ocorreu o crime. Ele conversou com moradores mais antigos, acompanhado do coordenador do Museu Municipal, Vanderlei Almeida.

O objetivo de Aguiar é levantar o máximo de informações sobre a morte do juiz. O jornalista do Tribunal de Justiça também foi recebido no escritório do advogado e historiador Valdir Amaral Pinto, que revelou muitas informações sobre o fato histórico.

Ele esteve, também, na Rádio Santiago, onde contou que está escrevendo um livro sobre o tema.

UM HERÓI

O juiz eleitoral Moisés Antunes Viana nasceu no começo do século passado, em Uruguaiana. Ele atuava em Santiago, onde coordenou as eleições municipais de 1936 para prefeito. O pleito já começara envolto em polêmica. A votação estava marcada para 1935, mas problemas com algumas urnas exigiram a nova eleição no ano seguinte.

O clima era de tensão entre os defensores do prefeito José Ernesto Muller e do candidato de oposição, Sylvio Aquino. Segundo relatos da época, Viana tentou impedir que um eleitor votasse duas vezes na urna, instalada em uma casa de Florida. Para evitar a fraude, o magistrado teria colocado a mão sobre a fenda da urna, atiçando a ira do eleitor.

A discussão terminou com um tiro, disparado por Thomaz Nunes de Castro, conhecido como Tamares. Conta a história que o juiz Moisés Viana morreu abraçado à urna pela qual deu a vida em prol da lisura das eleições. Ele tinha 36 anos. O resultado mostrou que, na seção eleitoral de Florida, a vitória foi do candidato Sylvio Aquino, com 126 votos, contra 62 de Muller.

Em homenagem ao magistrado, o Tribunal Regional Eleitoral do Estado instituiu, em 1991, a Medalha do Mérito Eleitoral Moysés Vianna (com a grafia original), distinção entregue a cidadãos que tenham se destacado em Direito Eleitoral ou no aperfeiçoamento da Justiça Eleitoral.

Fonte: Diário de Santa Maria





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *