Luila: uma mulher que encara todas as lutas

A alegretense Luila Nunes Teixeira, 30 anos. Filha de Ana Marisa Nunes Teixeira e Manoel Teixeira é daquelas que não desiste tão fácil.

Educadora Física e preparadora física em artes marciais pelo sistema Xtreme Workout, California EUA, ela é referência no jiu-jitsu alegretense e desponta como uma das melhores do RS em sua categoria.

O Portal Alegrete Tudo foi conferir o trabalho e a trajetória da atleta, na semana da mulher.

Confira a entrevista na íntegra:

Portal: Por que escolhestes o jiu-jitsu como esporte na tua vida ?
Luila: Não escolhi o jiu-jitsu, ele que me escolheu. Comecei a treinar em 2011, com submissão grappling ( sem kimono) e depois conheci o jiu-jitsu com kimono e me apaixonei. Por ser mais amarrado, cansativo, por ser superação de limites e mais higiênico também do que o sem kimono.
 Portal: Participa de várias competições. Quais as tuas principais conquistas ?
Luila: Fui campeã brasileira de submission grappilng 2012. Campeã das três etapas do circuito regional interno da Gracie Barra 2013. Campeã Copa Up Max 2014. Campeã Gaúcha 2014 na categoria e bronze no absoluto. Vice campeã gaúcha 2015. Campeã regional interno Gracie Barra 2016. Campeã Gaúcha categoria e absoluto 2016. Vice campeã categoria e absoluto copa esporte sul 2016.
 Portal: Longe dos grandes centros. Como é manter a competitividade ?
Luila:  O gasto com competições é muito grande. Conto com alguns patrocinadores, mesmo assim a maioria do dinheiro sai do meu bolso. Procuro fazer no mínimo dois campeonatos por ano para manter a competitividade e testar a técnica com atletas de outras equipes. Ainda que o resultado não seja a vitória, sempre se aprende muito nas competições.
Portal: Como está a parceria Gracie Barra e qual teu objetivo nesta temporada ?
Luila: Minha graduação à faixa marrom foi dia 5, no mesmo dia em que me desliguei da Gracie Barra. Todos meus colegas de treino sempre serão minha família, e nunca esquecerei minhas raízes. Sou muito grata, porém é o momento de expandir. Estou me unindo ao professor faixa preta 2 graus Anderson Soares, que é meu cunhado, para fundar uma nova equipe em Alegrete. Ainda esse ano pretendo me mudar para outra cidade e uma equipe maior, sempre pensando em alavancar minha técnica dentro do jiu-jitsu.
Portal: Uma mulher no meio de um esporte dominado por homens, já sofreu algum tipo de preconceito ?
Luila: O preconceito com as mulheres existe em todas as áreas. no Jiu-jitsu não seria diferente. Procuro treinar muito para poder me virar, porém na maioria das vezes os homens não admitem perder pra uma mulher, sempre acabam usando da força que é bem maior, para poder vencer a colega. Mas procuro sempre absorver, e não dar importância a esse tipo de atitude.
Portal: Alegrete tem se destacado nas competições pelo Rio Grande afora. Como está a adesão das mulheres no esporte ?
Luila:  Dentro do Jiu-jitsu a procura está aumentando bastante para o público feminino. Apesar de ser um esporte aonde encontramos vários empecilhos, a vontade de evolui sempre é maior.
Portal: Tu és exemplo para várias mulheres por cuidar do corpo, malha, pratica exercícios físicos, artes marciais. Qual é a receita da Luila?
Luila:  Sempre procuro dizer que a inspiração vem de dentro. Temos que buscar ser a nossa melhor versão todos os dias. O principal ingrediente é a determinação. No meu caso tenho o acompanhamento profissional da nutricoach Karen Peres, que cuida da minha dieta. Além dos treinos de jiu-jitsu, também treino Xtreme Workout e Crossfit para manter o corpo preparado e forte para o meu esporte.
 
Portal: Qual a tua mensagem ou dica para as mulheres que pretendem praticar jiu-jitsu ?
Luila: As mulheres que ingressarem em um treino de jiu-jitsu vão encontrar muitas barreiras. Além da desvantagem física, terão que abdicar de vaidades como unhas compridas e sempre bem feitas, e as pernas sempre terão hematomas. Porém a sensação de evoluir dentro desse esporte é impagável. Unhas, cabelo, roxos pelo corpo se tornam nada em comparação com a satisfação que só um jiujiteiro sente após um bom treino.
Portal: Tu acreditas que um proteto de iniciação às artes marciais nos bairros diminuiria a violência praticada por menores em Alegrete ?
Luila: . Acredito que qualquer projeto relacionado às artes marciais pode sim salvar muitas crianças. A arte marcial ensina respeito, hierarquia, dignidade além de ser uma fuga para a agressividade e estresse do dia a dia.
Portal: Como fica a vaidade feminina antes, durante e depois das lutas ?
Luila: Minha vida como mulher é exatamente igual, ou até mais vaidosa, do que outras mulheres. Amo comprar kimonos assim como sapatos, bolsas e maquiagens. Sempre que não estou treinando procuro andar bem arrumada e maquiada. Na hora do treino visto uma rash guard bem bonita(blusa que se veste por baixo do kimono) e um dos meus kimonos, que são meu xodó. Me acho tão bem vestida de kimono, quanto num salto 15.
Por: Júlio Cesar Santos              Fotos: Arquivo pessoal




Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *