Maioria das empresa que transporta estudantes em Santana do Livramento apresenta irregularidades




Pneus carecas, falta de peças e lençol no lugar de vidros estão entre as irregularidades apontadas pela prefeitura da cidade.

As condições do transporte escolar por estudantes da zona rural de Santana do Livramento, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, têm preocupados pais, estudantes e professores. Nove das 12 empresas terceirizadas que prestam o serviço apresentaram irregularidades.

Os veículos que transportam os centenas de estudantes da cidade são diariamente fiscalizados, sendo que alguns foram autuados por irregularidades. A maior preocupação é com vans e ônibus que trafegam pela zona rural por causa das condições das estradas e dos veículos.

Em alguns casos, os estudantes vivem a 30 km da escola de dependem do transporte público. No entanto, de acordo com a diretora de escola Mari Teresinha Vieira, a viagem nem sempre é segura.

“Tem problemas de mecânica, falta cinto de segurança, condições bem precárias dos carros”, afirma Mari.

Ônibus com lençol no lugar de vidro em Santana do Livramento (Foto: Reprodução/RBS TV)

Ônibus com lençol no lugar de vidro em Santana do Livramento (Foto: Reprodução/RBS TV)

Em abril, ela relatou problemas à Secretaria de Educação de Soledade por meio de ofício. Portas com defeito, falta de peças e problemas mecânicos estavam na lista.

Hoje, 58 linhas são de responsabilidade de empresas terceirizadas, que transportam todos os dias 800 estudantes. Das 12 empresas, nove apresentam irregularidades, conforme um relatório apresentado pela chefia do transporte escolar na cidade.

Veículos com pneus carecas, sem cinto de segurança, e sem tacógrafos estavam entre as irregularidades. As empresas foram notificadas e receberam prazo para se adequar.

Em um dos casos, um ônibus circulava com lençol no lugar do vidro ao lado do motorista, em outro a parte elétrica estava exposta, e foram registrados casos de transporte de gasolina na parte traseira de um veículo que deveria levar apenas estudantes.

Os veículos que estavam circulando de forma irregular foram retirados de linhas e substituídos por outros.

Veículo escolar transporta combustível (Foto: Reprodução/RBS TV)

Veículo escolar transporta combustível (Foto: Reprodução/RBS TV)

João Pedro Clavijo, dono de uma das empresas que presta serviço ao município. Ele diz que trabalha no ramo há 29 anos. Um dos carros de sua empresa chegou a pegar fogo no começo do mês. Segundo ele, isso aconteceu depois da troca de uma bomba injetora de combustível. Mas o incidente aconteceu fora do horário de aula.

O Ministério Público também investiga as irregularidades apresentadas pela prefeitura de Santana do Livramento.

Fonte: G1





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *