Mila e Eduarda: as gêmeas de Alegrete, ilustres torcedoras do Internacional

A paixão pelo vermelho e branco é notório entre as gêmeas Emila Oliveira Suares e Eduarda Oliveira Suares.

As alegretenses, hoje aos 26 anos, são figuras ilustres do Sport Club Internacional. Não é para menos, elas criaram uma torcida, a Resistência Colorada.

Em 2010, as gurias resolveram ir à Capital do Estado. Muitas mudanças já tinham ocorrido na vida delas. A morte da avó, e a idade avançada do avô, precisando de cuidados especiais foi um divisor de águas na caminhada das jovens.

Inicialmente foi uma adaptação difícil, a saudade dos amigos alegretenses e da vida na cidade do interior gaúcho povoava a imaginação da dupla.

Mas ao mesmo tempo sabiam que as oportunidades futuras iriam melhorar a vida em Porto Alegre.

Logo veio o vestibular e as universitárias, futura nutricionista e futura psicóloga iniciaram uma jornada estudando dia e noite.

Eduarda, estuda nutrição. A nutricionista lembra desde quando acompanhava a avó ao médico.Ela era diabética e precisava de uma dieta controlada, foi exatamente aí que começou o encanto pela nutrição.

Já, Emila, será psicóloga. Se interessou pela profissão ao presenciar o excelente acompanhamento psicológico do avô na clinica de hemodiálise no Hospital Divina Providência.

Na Capital, logo novas amizades surgiram, e aos poucos foram se adaptando a nova realidade.

A paixão pelo Inter era desde criança no longínquo Alegrete. Próximo do Beira-Rio, elas foram presenteadas com amigos que comungavam a mesma paixão.

Hoje, os jogos no Beira-Rio são preenchidos com o Grupo Resistência Colorada, fundado por elas e um grupo de amigos.

Mila e Eduarda não faltam a um bom jogo do Inter em casa. Um dos membro da Resistência Colorada é dona Marli Ribeiro, mãe do eterno capitão, Fernandão.

Se preocupam com o social e fazem campanhas para arrecadar alimentos, material escolar e roupas para as comunidades carentes.

A mãe das gurias reside em Porto Alegre, também apaixonada pelo Inter, é só orgulho das gêmeas. O pai Homero Brasil, também colorado de carteirinha, é só elogios pela conduta e estilo de vida das torcedoras Nº 1.

Indagada sobre como é um dia de jogo, Mila dá a dica: Levantamos com um bom café da manhã, armazenamos energia e encontramos com amigos no Beira para uma churrascada antes do jogo. Momento mágico de muita emoção, adrenalina pura – sorri a morena colorada.

Sobre o que acham do desempenho do time no próximo campeonato brasileiro, elas não poupam o time do coração.

“Precisamos melhorar  para sonharmos com o título brasileiro. Mas como coloradas que somos, estaremos sempre juntas apoiando o Inter”.

Como autênticas alegretenses não esquecem suas raízes, volta e meia o destino é Alegrete, desde que o Inter não esteja jogando no Beira-Rio. EFIPAN é presença garantida das gêmeas e a trupe da Resistência Colorada.

A torcida pelo Inter é diária. A cada jogo no Beira-Rio lá estão as alegretenses Mila e Eduarda, afinal elas são a Resistência Colorada. Com um contato direto com muitos jogadores do elenco principal, elas são atendidas e possuem um grande prestígio no clube que escolheram para idolatrar pelos resto de suas vidas.

 Texto: Júlio Cesar Santos                                    Fotos: Acervo pessoal

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*