Morte brutal de agricultor na Serra teria sido vingança por denúncia de abigeato e roubo de tratores




Homem morreu após ser espancado e queimado em São Francisco de Paula

agrip

Amarrada junto com a filha de 17 anos dentro de casa em Fazenda Velha, interior de São Francisco de Paula, a mulher do agricultor Edgar Kershner Carneiro, 64 anos, ouviu de um criminoso que o marido acabara de ser executado porque deveria sofrer o mesmo que ele passou nas mãos da polícia. Carneiro foi brutalmente assassinado a golpes de barra de ferro na cabeça e depois jogado em um galpão para ter o corpo queimado na madrugada desta segunda-feira. Seria o mesmo destino da mulher e da jovem, não fosse a sorte.

Enquanto a casa pegava fogo, a adolescente conseguiu se desvencilhar a tempo, abrir a residência e chamar socorro. Ainda de madrugada, familiares correram para a localidade, que fica a 42 km da Rota do Sol, quase no limite com Caxias do Sul, e ajudaram a resgatá-las. De acordo com a Polícia Civil, a hipótese mais provável para o crime é homicídio, já que praticamente nenhum pertence da vítima foi levado. Três suspeitos são procurados. Um deles foi preso no ano passado por abigeato e roubos de tratores na região.

— As informações nos levam a crer que seja homicídio, pela forma como os indivíduos chegaram. Eles sabiam quem estavam abordando — explica a delegada Fernanda Seibel Aranha.

Os familiares de Carneiro têm convicção de que os bandidos acreditavam que a vítima havia denunciado o homem que conversou com a mulher do agricultor. A morte com tortura, então, teria sido para cobrar a “dívida”. A suposta denúncia, ocorrida em 2016, impediu o furto de mais de 40 cabeças de gado próximo a Fazenda Velha e causou a detenção do suspeito citado pela mulher de Carneiro à polícia. O trio, conforme investigação preliminar, estaria ligado com um traficante de drogas de Caxias e seria responsável por uma série de roubos violentos na zona rural de São Francisco de Paula.

Peritos do IGP encontraram galões utilizados pelos criminosos para atear fogo na vítimaFoto: Roni Rigon / Agencia RBS

— É gente barra pesada, com intenção muito ruim. Eles queriam botar fogo nos três. Nós, que vivemos aqui, notamos que está muito mais difícil ter segurança nos últimos anos — afirmou um familiar da vítima, que não quer se identificar.

Uma câmera de vigilância instalada na casa de Carneiro flagrou a ação, mas os dados se perderam porque o HD do dispositivo estava dentro do galpão incinerado. A Polícia Civil começou a ouvir testemunhas e deve pedir a prisão dos suspeitos em breve. Eles ainda arrombaram uma residência próxima, que estava vazia, provavelmente, segundo a polícia, para simular um assalto na tentativa de encobrir a vingança.

Carneiro trabalhou 29 anos na Fras-le e se mudou para Fazenda Velha há quatro anos para curtir a aposentadoria num lugar tranquilho, junto da companheira. Desolada e com medo, uma das filhas do agricultor afirma que vai vender a propriedade e ir morar longe:

— Isso era um xodó, era a vida dele. Construiu o galpão sozinho, cuidava dos bichos e da horta, não devia nada para ninguém. Não tem mais como ficar aqui.





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *