‘Mulher-Maravilha 2’ adotará código de conduta contra assédio


A continuação do longa protagonizado por Gal Gadot, Mulher-Maravilha, será o primeiro filme de Hollywood a adotar o código de conduta contra assédio divulgado pelo sindicato de produtores cinematográficos dos Estados Unidos.

O manual foi criado para os 8.200 membros que fazem parte do sindicato, após o escândalo sexual envolvendo Harvey Weinstein. O produtor americano foi banido do PGA em outubro de 2017, após acusações de assédio e abuso sexual virem à tona por dezenas de atrizes e modelos de Hollywood.

As “Diretrizes Antiassédio Sexual” são uma iniciativa desenvolvida junto com o fundo Time’s Up, com o objetivo de criar protocolos para prevenir os casos de assédio e abuso nas produções americanas. “Os produtores possuem autoridade tanto no set quanto fora dele e podem ser a chave para a criação e o suporte de um ambiente de trabalho construído com respeito mútuo”, explica a declaração que abre o código de conduta. “Através de recursos competentes, nós podemos educar nossos membros e as suas equipes. Em conjunto, devemos modelar nosso compromisso com um local de trabalho livre de assédio e encorajar os colegas a fazerem o mesmo.”

Entre as diretrizes estabelecidas pelo PGA estão que as produções devem estar cientes e de acordo com as leis estaduais e federeis relacionadas a assédio e abuso sexual, que todo o elenco e a equipe recebam um treinamento antiassédio e que pessoas nos sets sejam designadas para que os funcionários possam denunciar os possíveis casos.

A notícia sobre a continuação de Mulher-Maravilha foi anunciada durante a premiação do PGA. O segundo filme solo da heroína da DC Comics só chega aos cinemas no fim de 2019 – 1º de novembro, nos Estados Unidos e ainda sem data definida no Brasil.

Fonte: MSN Entretenimento


Curta nossa Fan Page


Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *