Nívia Souza propõe redução do valor das diárias dos vereadores

A vereadora Nívia Souza (PMDB) protocolou, em forma de Indicação, dirigido à Mesa Diretora da Câmara de Vereadores, uma proposta de redução das Diárias em 62,5%.
Atualmente o valor da diária é de R$320,00 e a proposta reduz para R$200,00.

Mas esta mesma diária, quando é para Porto Alegrete, explica que passa para R$400,00 e na proposta ficará em R$250,00.
Além disso ela diz que os valores apresentados, quando designados e não gastos na integralidade, deverão ser devolvidos, no todo ou em parte.


-Mas de forma geral as “idas” a Porto Alegre ocorrem na forma de ida/volta, gerando, no mínimo, 1,5 Diárias, no valor de R$600,00/ viagem. E na proposta que apresento este valor reduz para R$ 375,00,
valores absolutamente dentro da realidade”.
A vereadora entende que as Diárias são instrumentos para o custeio de despesas, não como algo a ser agregado a renda, portanto não havendo despesas ou se ficarem em patamares menores, os valores devam ser restituídos.

Em 2017, ela é uma das que figura entre os vereadores que não pegaram diárias em Alegrete. Questionada diz que viajou várias vezes, inclusive para Brasília, mas aponta que com os subsídios que um vereador recebe que já é para isso.

 Vera Soares Pedroso
Curta nossa Fan Page

10 Comentários

  1. Parabéns Senhora Vereadora é isso aí acho que tem que acabarem com esse desperdicio do dinheiro público. Até concordo que seja paga a passagem ou até a gasolina mas tudo dentro do “honesto”.

  2. Se entendermos que esta redução no valor ainda fica dentro de um valor razoável, somando-se, a integralidade do salário recebido pelo legislador mensalmente poderia cobrir suas despesas, a exemplo das viagens realizadas pela vereadora que custeou suas passagens e estadia com seu salário. Entendemos também que é um direito legal do legislador perceber as diárias, mas com valores mais próximos a realidade do salário mínimo regional ,pois os valores de R $ 400,00 e
    R $ 350,00 é quase 1/3 do salário mínimo que é recebido em 30 dias pelo simples trabalhador ,é quase o valor pago a um estagiário de curso superior no magistério ,por sua vez o legislador em 24 horas recebe este valor se ficar fora somente este tempo.Diante disto,os valores são desproporcionais da realidade dos eleitores que exercem uma atividade remunerada sem contar aqueles que estão desempregados. Logicamente o país, estado,municípios passam por uma crise financeira e certos auxílios,proventos, regalias dentro dos três poderes deverão ser revistos,pois em muito oneram o orçamento público, a exemplo auxílios moradias, vestuário, casas funcionais, valores exorbitantes de diárias,carros funcionais particulares. A reação dos contrários é plausível, pois a exemplo do judiciário que protesta a favor do auxílio moradia de aproximadamente R $ 4.000,00 ,além do salário de aproximadamente R$ 30.00,00, e dos legislativos estaduais e federal igualmente que protestam contra cortes de regalias legais. Mas não podemos esquecer que hoje estas regalias não se adequam a realidade da economia brasileira e eticamente fica totalmente desigual diante de um salário mínimo, e dos 14 milhões de desempregados que existe no país. Por outro lado,é um bom exemplo para que o eleitor possa saber se verdadeiramente seu candidato teve um discurso de campanha verdadeiro,ou se as palavras de palanque era cortar tudo que não chegasse ao seu bolso. Aguardaremos!

  3. Sou a favor de que seja adequado os valores percebidos como forma de custear as depesas oriundas de diligências em outras comarcas, cito POA, com o fito de buscar melhorias para o nosso Município. Mas peço vênia aos que aplaudem iniciativas, em tese nobres, para que verifiquem cada caso no sentido lato senso, tendo em vista que não solicitar diária para custear viagens é diferente de NÃO PODER SOLICITAR ( já que um dos requisitos, salvo melhor esclarecido, é Não possuir residência no local de destino #FICADICA)

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*