Operação Golfinho registra 355 salvamentos no RS




Praia com maior índice de ocorrências é Capão da Canoa

Praia com maior índice de ocorrência é Capão da Canoa  | Foto: Guilherme Testa / CP Memória

Nos primeiros 20 dias de Operação Golfinho foram realizados 335 salvamentos em todo o Rio Grande do Sul. Com isso, a média ficou em 17 por dia, abaixo da média dos últimos 10 anos que é de 22 diários. A praia com maior índice de ocorrências é Capão da Canoa, com 43 salvamentos, a qual conta também com o maior índice de salvamentos por guarita, juntamente, com Magistério no Balneário Pinhal, ambas com registro de 11 salvamentos desde o início da Operação Golfinho.

“Este decréscimo se deve sobre tudo, às intervenções preventivas dos salva-vidas. Este viés de pró-atividade está, gradativamente, auxiliando na construção de uma cultura social fundamentada em ações e atitudes voltadas à prevenção. No Corpo de Bombeiros Militar, e na Operação Golfinho especificamente, o salva-vidas prima pela orientação e educação do banhista ao invés de somente efetuar o salvamento. O trabalho de prevenção tem ajudado muito a reduzir as ocorrências de salvamentos nos últimos anos”, revelou o tenente coronel Marcelo Maya, Coordenador da 47º Operação Golfinho.

O dia 1º de janeiro segue com o maior número de salvamentos realizados nestes 20 dias, com 123, sendo 110 no Litoral Norte. Destes, 27 em Capão, dez foram registrados em Rio Grande, no Litoral Sul, e três nas cidades de Arambaré, Tapes e Barra. Já no dia 31 de dezembro houve um registro de 65 salvamentos. Nos demais dias, foram realizados entre 2 e 26 salvamentos.

Em relação ao ano passado, no mesmo período, ocorreu um aumento de 26,9%, quando foram realizados 245 salvamentos. A Brigada Militar, no entanto, considera que o veraneio passado foi atípico, com uma considerável redução de salvamentos. Nestes primeiros 20 dias de operação foram registrados 5 óbitos em locais balneáveis, onde não havia posto de salva-vidas instalado, e 5 óbitos em locais não balneáveis.

A Brigada Militar considera como fator importante e que deve ser considerado que foram realizadas mais de 11.141 intervenções preventivas, sejam elas verbais ou através do apito. Este tipo de expediente é feito quando os salva-vidas quando percebem que um banhista está próximo a algum local de risco. O balneário com maior número de intervenções foi Torres representando 15,1% do total realizado até o momento.

 

Fonte: Correio do Povo





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *