Os confrades da Praça Nova reverenciaram Ascânio


O sábado nublado e um pouco frio parece ter sentido a ausência do confrade, José Ascanio Vilaverde Moura. Em homenagem ao grande parceiro, amigo de longa data e um dos mais influentes e responsável pela Confraria da Praça Nova, os demais confrades fizeram uma homenagem a ele. O alegretense que deixou um legado como engenheiro Civil, escritor, empresário, político atuante, membro da Sociedade de Engenharia e do Clube Caixeiral de Alegrete, assim como um dos coordenadores e fundadores da Confraria da Praça Nova, entre outras atividade, faleceu no último dia 11 de abril. Roberto Joel cantou Naquela Mesa, Nelson Gonçalves.

Hoje em Alegrete,neste sábado,a Confraria fará silêncio.Biju não sopra o saxofone,Roberto Joel nem precisa afinar o violão.João Barulho,hoje não vai ter baile no Lanceiros,e nem no Cerca de Pedra.Não deem biquinho ou salto mortal no Porto dos Aguateiros,nem joguem futebol na Canjiqueira,Birutas ou Vera Cruz.Tadeu Coruja hoje não é dia de largar osso.Não chora Grillo,não chora Grisa.Bibita,mantém a fleugma.Zé do Cinema hoje nem deve ter matinê da uma no Cine Glória,dispensa o Mudinho.Bexiga hoje não é dia de te comparares ao Cristiano Ronaldo.Nesse sábado na rua Gaspar Martins o meu irmão nego Assis,não vai atochar ou cuspir .Talvez o Vava venha de Santa Catarina.Toniho Caju e Biqueira deem um tempo pra cerveja gelada hoje. Rita,o Ascânio deu aquele sorriso só dele no canto da boca,diz que vai descansar e depois continuar na boa luta!” – disse um dos confrades, Fernando Campos da Rosa.

 

 

Foto: José Airam Vasconcelos

 


Curta nossa Fan Page


Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *