Ovelha dá à luz quatro filhotes em Pinhal Grande, na Região Central

Partos duplos e triplos são frequentes. Já os quádruplos são raros.

Um fato inusitado ocorreu no interior de Pinhal Grande, na Região Central. Uma ovelha deu à luz quatro filhotes de uma vez. Foi na madrugada do último domingo, na propriedade da família Cargnin, na localidade de São Cristóvão. O caso não é tão comum, já que, geralmente as fêmeas ovinas têm entre um e dois filhotes. A família ficou surpresa com a chegada dos cordeirinhos: dois machos e duas fêmeas.

– Sabíamos que a ovelha iria dar cria, mas não imaginamos que seriam logo quatro de uma vez. É uma casualidade. Já tinha visto até três cordeiros, mas quatro é a primeira vez – diz o técnico em agropecuária Bruno Michelon Cargnin, 22 anos.

 

O animal é da raça ile de france. Já o reprodutor é texel. Conforme Cargnin, a família cria 20 ovelhas só para consumo. Como a ovelha mãe dos quatro cordeirinhos tem condições de amamentar só dois filhotes, já que tem duas tetas, os outros dois animais contam com a solidariedade.

– As duas fêmeas estão sendo amamentadas pela mãe. Um dos machos foi adotado por outra ovelha, que já tem um cordeirinho. O segundo machinho está sendo criado guacho, com a gente dando mamadeira – diz Bruno, que conta que na, propriedade, ele mora com o pai Jacinto Cargnin, a mãe Salete e o irmão Márcio.

Para o professor da Zootecnia da UFSM Cléber Cassol Pires, veterinário com doutorado em produção animal e pós doutorado em qualidade de carne ovina, é da espécie dar partos duplos e triplos. Esse último com menos probabilidades. Partos quádruplos são raros.

 

– Este animal tem uma característica de boa fertilidade. Isso também é característico de raças voltadas à produção de carne, como a ile de france e a texel, que têm maior capacidade de fertilização do que as raças de lã. Além disso, essa ovelha deve ter tido bons cuidados, como uma boa alimentação. Esse é um fato bem raro no nosso Estado – diz Pires.

Em alguns casos de partos múltiplos analisados, foi constatada a presença do gene Booroola, que propicia aos ovinos uma maior prolificidade, ou seja, a possibilidade de nascimentos duplos, triplos e até quádruplos. Mas o gene é introduzido em ovelhas quando o produtor busca uma maior fertilidade do animal para fins comerciais, o que não é esse caso de Pinhal Grande.

 

Fonte: Diário de Santa Maria





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *