Situação tensa: famílias da Vila Grande ocupam área do Regalado




Nesta manhã(12), a Prefeitura através da infraestrutura, a pedido do setor jurídico, foi notificar os moradores que estão ocupando a Avenida do Arroio Regalado. Como eles se recusaram assinar e se identificar, foi feito um boletim de ocorrência e conforme o setor de comunicação, ainda hoje, a procuradoria do município vai entrar com pedido de reintegração de posse. Os moradores estão saindo da área que vai ter reintegração de posse no próximo dia 26, na Vila Grande, e ocupando a Avenida do Arroio Regalado.

Cerca de 60 famílias que atualmente estão na área privada disseram à reportagem que não têm para onde ir e estão esperando uma posição da prefeita Cleni Paz. Eles alegam que junto  aos terrenos que estão com pedido de reintegração há uma área verde que será doada para a Prefeitura.

Entre homens, mulheres, crianças, gestantes e uma família que disse ter um bebê prematuro, todos estão migrando aos pouco para a Avenida. “Se a prefeita nos disser que vamos ter um local para transferir nossas casas, vamos sair de forma pacífica. A diferença que ninguém tem para onde ir, não há uma segunda opção. Se ali, é área particular, do município há muitas áreas que estão acumulando lixo, vamos mudar até que seja feito um acordo”- destacou uma das ocupantes.

Eles questionam que só foram notificados pelo proprietário e o oficial de Justiça,  há cerca de 10 dias. Na reunião realizada no último dia 8 pela Brigada Militar, no salão Azul, ficou claro que a reintegração de posse vai acontecer e o pedido foi para que as famílias fizessem a retirada das estruturas e seus pertences com antecedência para que não fossem prejudicados.

Desde ontem(11), eles começaram a ocupar a Avenida Arroio Regalado.No momento em que os servidores foram notificá-los todos se negaram a dar nomes e assinar o documento para cientificá-los de que estariam cientes do pedido de retirada do local.

“Precisamos de um lugar para morar, sabemos que a Prefeita adquiriu uma área grande e que iria disponibilizar para as famílias que não têm para onde ir, por que não estão nos auxiliando?”- questionou outra mulher.

A Brigada Militar, através do GOE, foi acionada para apoiar os servidores da prefeitura.





Curta nossa Fan Page





Comentar com Facebook

2 comentários

  • Santo J. Furtado

    Imaginem, se houvesse tamanho empenho de nossas autoridades locais pra proteger o cidadão dos assaltos a mão armada q acontecem a toda hora nas ruas de nossa cidade e aos comerciantes q trabalham com medo e indignação por serem roubados todo dia e quando a policia consegue deter o ladrão e apresentar na delegacia, a autoridade não tem o q fazer a não ser ouví-lo e liberá-lo. Se houvesse este mesmo empenho, nossa cidade seria um exemplo em segurança.

  • nojo

    não gosto de me manifestar mas vi alguns comentários que fiquei com nojo muitos puxa sacos e outros arrogantes que moram em áreas invadidas porque seus avós ou pais aos anos atrás invadiram ficam se achado parece que trabalharam para adquirir olhem pra trás e análise antes de abrir a boca não vem com que trabalhei para ter eu não tive herança meus pais já falecidos não me deixaram nada a vida me ensinou se tenho aonde morar pq tive passar por muita coisa nessa vida agora vem ums besta se achado.não sou invasora que bem claro moro numa área que algum dia foi invadida por algum mas eu comprei com muito suor fiz de tudo para adquirir so não roubei para deixar para o meus filhos para não passar o que passei sem ter ao morar.😠😢

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *