2017, o ano mais violento na história de Alegrete; veja os números

Em 2017, foram 20 casos, 123%  superior ao ano de 2016, com 9 assassinatos. A maioria dos crimes tem ligação com tráfico de entorpecentes e rixas.

Alegrete registrou na sua história o maior índice de homicídios. O PAT teve acesso através da Secretaria da Polícia Civil do Estado, os registros dos últimos 10 anos e, conforme pesquisa em anos anteriores, não houve estatística superior.

Nos anos anteriores, 2007 foi o que teve o maior índice, chegou a 12 homicídios consumados e o ano de 2009 o menor, apenas 4.

O tráfico de entorpecentes foi uma das principais causas dos homicídios dolosos ocorridos este ano – segundo o Delegado da DPPA – Peterson Benitez.

“O crime evolui assim como a tecnologia, a violência entre outros. Todos sabem que o efetivo no município tem um deficit muito grande, dessa forma também falta mais repressão. Estamos registrando muito mais ocorrências graves. Polícia Preventiva não tem policiais suficientes” – comentou a autoridade.

No trabalho realizado pelo setor de investigação de todos os casos, 25 pessoas foram presas, 5 já estão em liberdade. Três criminosos permanecem foragidos e quatro casos ainda não foram elucidados(estão sem autoria). Sendo eles: o 9°) 12 de agosto – Antônio Carlos Machado Antunes Júnior, 22 anos, Corvinho, foi morto por disparos de arma de fogo (Saint Pastous); o 10°) 16 de agosto – Adriano dos Santos Camargo, de 38 anos, foi morto por disparos de arma de fogo (Saint Pastous); o 15°) 08 de novembro –  Leandro de Juli –  49 anos, Léo Beauty, morto com paulada na cabeça (Centro); 20°) 25 de dezembro – Bruno Domingues Pinto, de 18 anos, vulgo Bê, morto com uma facada.

Para o Delegado, a proliferação do comércio de substâncias ilícitas(drogas) e o consumo acima do potencial, de compras, gerou muitas rixas que foram determinantes para o aumento dos crimes. Mas ele salienta que Alegrete tem um comércio forte, porém, pobre. “Ninguém  está ganhando dinheiro com o tráfico, mas ainda existe muitos pontos de venda”. Segundo Benitez, a maioria das vítimas tinham passagens pela polícia.

Posição do Comando da Brigada Militar

Por outro lado também há o trabalho da Brigada Militar. Independente do pouco efetivo está à frente, diariamente, no combate de todos os crimes. O tráfico de drogas, foi um dos pontos que teve uma repressão significativa com as duas maiores apreensões de pasta base, no município. O setor de inteligência da BM identificou indivíduos num veículo com placas de São Borja e o outro foi de um integrante de uma facção de Porto Alegre, preso no bairro Airton Senna.

O comandante local da Brigada Militar, Capitão Jean Quatrin ressaltou que o nível de violência está estável. “Quase que na sua totalidade os homicídios foram acertos de contas. A ficha criminal da grande maioria denota que apesar deste crescente  número de crimes, apenas 15% foram fatalidades, como tentativa de sequestro, passional e latrocínio.

“Precisamos investir mais em inteligência, o grande diferencial não é somente fechar as bocas de fumo existentes, mas combater a forma em que a droga entra no município. Para isso, o serviço de inteligência trabalha de forma intensiva. Mas nesse contexto de carências, também há como ponto positivo o fato de ainda não ter facções criminosas em Alegrete. Alguns integrantes de outras cidades entraram no município, porém foram identificados e presos.” citou.

Além do trabalho ao combate e venda de produtos ilícitos, outras frentes também são de suma importância. Mesmo com o crescente número de homicídio, crimes como assalto a pedestres, formação de bondes e roubos tiveram uma retração. A Zona Leste, por exemplo, exemplo,  já não enfrenta a onda assaltos dos bondes. Outro ponto foi a Ponte Borges de Medeiros que deixou de representar uma constante ameaça aos transeuntes, principalmente à noite.

“As mulheres estão mais confiantes e encorajadas, o crime de Lei Maria da Penha, também foi um dos que teve um índice considerável este ano” – argumentou.

Acompanhe todos os crimes que ocorreram neste ano:

Janeiro

1°) 30 – Yuri Morin – 18 anos – foi morto por disparos de arma de fogo(Vila Grande)

Fevereiro

2°) 5 – Jean Carlos Alves – 44 anos – foi morto por disparos de arma de fogo (Macedo)

Março

3°) 03 – Nelci Prates da Silva – 49 anos – foi morto por disparos de arma de fogo (Saint Pastous)

4°) 13 – Tiago Machado -33 anos – foi morto por disparos de arma de fogo (Renascer)

Abril

5°) 02 – Júlio Cesar Machado da Silva, 44 anos, foi morto por disparos de arma de fogo (Macedo)

6°) 16 – Ana Paula Pedroso, 26 anos, foi morta por disparos de arma de fogo (Novo Lar)

Maio

7°) 08 – Luiz Carlos Moreira, 53 anos, foi morto por facadas (Saint Pastous)

Agosto

8°) 09 – Samuel da Silva Leães, 24 anos,  foi morto por facadas (centro)

9°) 12 – Antônio Carlos Machado Antunes Júnior, 22 anos, vulgo Corvinho, foi morto por disparos de arma de fogo (Saint Pastous)

10°) 16 – Adriano dos Santos Camargo, de 38 anos, foi morto por disparos de arma de fogo (Saint Pastous)

11°) 17 – Dilmar de Jesus Saldanha Salazar – 46 anos,  foi morto por facadas(centro) preso.

12°) 19 – Vladmir Alves, 53 anos,  foi morto por facadas (bairro José de Abreu)

Setembro

13°) 08 – Tiago Jung, de 34 anos, foi morto com pauladas na cabeça (bairro Doutor Romário)

Outubro

14°) 10 – Quetner Lima Menezes – 23 anos, morto por disparos de arma de fogo ( João XXIII)

Novembro

15°) 08 –  Leandro de Juli –  49 anos, morto com paulada na cabeça (Centro)

16°) 15 – Fernando Alvarenga Machado – 27 anos, morto com facada no peito (Avenida Rondon)

17°) 17 – José Ademir Rodrigues Guedes – 55 anos, morto com disparos de arma de fogo (bairro Ibirapuitã)

18°) 27 – Cassio Alexandre dos Reis – 27 anos, morto com facada ( Presídio)

Dezembro

19°) 13 – Ruan Roberto Oliveira de Lima – 20 anos, morto com disparo de arma de fogo(Vila Nova)

20°) 25 – Bruno Domingues Pinto, de 18 anos, vulgo Bê, morto com uma facada.

Dados dos últimos 10 anos:

Local do Fato Ano Consumado
ALEGRETE 2007 12
2008 9
2009 4
2010 7
2011 9
2012 8
2013 11
2014 6
2015 7
2016 8
2017 20
Total 101

Fonte  CSI e Mosaico GIE/DIPLANCO

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

1 Comentário

  1. Muito triste essa manchete no último dia do ano, confirmando a insegurança que vivemos. Que 2018 tenha mais efetividade da paz e que Deus nos proteja.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*