Ação voluntária da Opaa junto aos carroceiros avalia a situação sanitária dos cavalos

Na tarde desta quinta-feira, no espaço determinado pela Secretaria de Segurança Pública, Mobilidade e Cidadania para os carroceiros, na avenida Freitas Valle, a ONG Opaa realizou uma intervenção avaliando a situação sanitária dos animais que tracionam as carroças de frete na cidade. Pelo menos, cinco carroceiros estiveram no local e seus animais foram avaliados pela médica veterinária voluntária Dileusa Alves. 


Os cavalos foram dosificados com vermífugo, sendo avaliada a parte de ferraduras, dentes e língua( se não tinha alguma lesão), bem como o estado físico de cada animal. Os cavalos que não estavam em bom estado, seus proprietários receberam um saco de 40 Kg de ração como reforço alimentar. Os carroceiros receberam também uma carteira sanitária da Opaa para acompanhamento da saúde animal, além de dar direito a desconto na compra de ração. Os carroceiros justificaram que as recentes enchentes judiaram muito do estado físico dos animais.
Para a veterinária Dileusa, a avaliação é de que a parte sanitária está OK, no tocante ao atrelamento e embocadura dos animais, sem problemas, mas quanto a nutrição há a necessidade de cuidados. A nota dada pela veterinária numa escala de 0 a 10 foi de 7. Uma campanha deverá ser feita no sentido de que empresas doem ração para reforçar a alimentação dos animais, assim como a ferradura já que o desgaste é muito grande pelo tráfego no asfalto.

O que Dizem os Carroceiros

Os carroceiros que tiveram seus animais atendidos na ação voluntária, ficaram satisfeitos. É o caso de Sandro Giovane Barros, que faz frete para a loja Quero-Quero há treze anos e cuida muito do seu cavalo Pampa, não forçando no peso da carga. Já o carroceiro Sérgio Pinheiro Alves, que trabalha com frete e jardinagem, depende de sua carroça para o sustento de sua família com quatro filhos. Tudo que conseguiu até agora foi com sua carroça e seus cavalos Rato e Índio, orgulha-se. Para o carroceiro Sérgio Botelho, a enchente prejudicou muito o estado de seus cavalos Capincho e Corvinho. Ele faz ponto nas Lojas Becker. O carroceiro Edson de Mattos Quevedo, morador no bairro Santo Antônio, prefere deixar seus animais em casa. Quando surge um frete, enfrena suas mulas e atrela à carroça. Todos eles gostaram da definição do local para aguardarem frete: “temos sombra e a água para os animais bem pertinho daqui, no bebedouro da ferroviária”, concordaram. 


O secretário de Segurança e Mobilidade, Luciano Pereira, esteve presente acompanhando o trabalho realizado pela ONG Opaa, elogiando a atuação da presidente Nara Leite e da voluntária Dileusa Alves.

DPCOM

Compartilhe
  • 63
  •  
  •  
  •  
  •  
    63
    Shares

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*