Adolescente suspeita de assaltar motorista em Gravataí é apreendida; polícia procura outro suspeito

Dois adolescentes, de 15 e 16 anos, foram apontados pela polícia como os responsáveis pelo crime, que acabou com o motorista baleado. Um deles está foragido.

A Polícia Civil apreendeu uma adolescente de 15 anos nesta quinta-feira (10), suspeita de participar do assalto que deixou um motorista de aplicativo baleado em Gravataí, nesta madrugada. De acordo com o delegado Alencar Carraro, responsável pelo caso, dois adolescentes tiveram envolvimento no crime que aconteceu na Região Metropolitana de Porto Alegre.

O outro, de 16 anos, apontado pela polícia como o autor dos disparos, está foragido. Com a jovem de 15 anos, foram apreendidos cinco celulares, incluindo o da vítima, que reconheceu os adolescentes suspeitos.

A polícia identificou ainda um terceiro jovem, que seria o responsável por chamar a corrida pelo aplicativo. Segundo o delegado, a participação dele no assalto propriamente dito ainda será investigada.

O motorista foi baleado no início da madrugada desta quinta-feira na ERS-118. Segundo o boletim de ocorrência da Brigada Militar, dois passageiros embarcaram no carro e, durante a corrida, em um local escuro da estrada, renderam a vítima.

O motorista, de 30 anos, teria entregado o carro e descido do veículo. Ao tentar sair a pé do local, foi baleado por um dos criminosos. Um dos suspeitos teria gritado que faltava entregar alguma coisa, antes de atirar. O homem ficou cerca de meia hora aguardando por socorro. De acordo com o delegado, o estado de saúde dele é regular.

Motoristas pedem segurança em reunião

Encontro ocorreu na sede do MP na tarde desta quinta-feira (10) — Foto: Divulgação/MPRS

Encontro ocorreu na sede do MP na tarde desta quinta-feira (10) — Foto: Divulgação/MPRS

Os últimos episódios envolvendo motoristas de aplicativos motivaram uma reunião. Nesta tarde, representantes dos motoristas participaram de um encontro com o promotor criminal Luciano Vaccaro e com a diretora do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), Adriana Regina da Costa.

Os profissionais pediram mais segurança para trabalhar. “Que as empresas sejam notificadas e nos ouçam, porque não há coincidência nesses crimes, a forma como estão acontecendo. Os índices são alarmantes, e o requinte de violência de que o motorista tem se tornado vítima nos choca e indigna”, defende o vice-presidente e advogado da Associação dos Motoristas Particulares e de Aplicativos, Marcos Vinícius dos Santos.

Nas próximas semanas, haverá uma nova reunião para a qual serão convidados, também, representantes das empresas responsáveis pela gestão de aplicativos, como Uber e 99Pop, além da Brigada Militar e da prefeitura de Porto Alegre.

Fonte: G1

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*