Afonso Motta será a voz de Alegrete na Câmara Federal

O advogado e produtor rural de 64 anos conseguiu uma das três vagas do PDT

AFONSO MOTTA..jpg 1

Na eleição de 2010, Afonso Mota fez 71 mil 607 votos e não foi o suficiente para garantir uma vaga na Câmara dos Deputados.

Passados quatro anos, Motta ganhou grande visibilidade política a frente do Gabinete dos Prefeitos, cargo de confiança do governador Tarso Genro. Nesse período, o criador do canal rural, quando vice-presidente da RBS reforçou suas relações políticas em todas as regiões do Estado, numa função que naturalmente facilitava abertura de novas possibilidades para buscar os votos que faltaram há quatro anos.

Afonso aproveitou muito bem esta oportunidade para consolidar o seu projeto político e ser um dos 31 deputados federais do RS na Câmara Federal. Para quem saiu de Alegrete, aos 17 anos, para cursar Direito em Porto Alegre e voltar para exercer a advocacia na sua terra, o agora deputado federal seguiu outros caminhos, e uma trajetória bem diferente dos seus objetivos do início dos anos 70. Foi diretor jurídico do Banco Maisonave e, na RBS, fez uma carreira brilhante até chegar à vice-presidência.

AFONSO MOTTA.

Mentor do Canal Rural e com forte influência em projetos estratégicos da maior empresa de comunicação do Sul do Brasil, Motta se notabilizou também em cargos importantes na ANJ, onde foi diretor de gestão, na presidência da AGERT e cargos relevantes em várias entidades representativas.

Dono de uma fazenda modelo, na localidade do Cerro do Dinheiro, Afonso construiu uma respeitável biografia de importantes conquistas profissionais e, com 90 mil 917 votos é um dos três deputados gaúchos da bancada do PDT em Brasília.

A partir de 1º de janeiro de 2014, o filho do ex-prefeito, Cassiano Paim da Motta será a voz de Alegrete e região na Câmara dos Deputados em Brasilia.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *