Alambrador João Batista Oliveira, o “Índio Chairado do Alegrete”

O alegretense João Batista Oliveira, o alambrador por profissão é trovador. No ditado gaúcho é de todo serviço. Um gaúcho simples, que neste 9 de novembro completa 64 anos.

Para quem não conhece um pouco da história desse alegretense, a reportagem foi atrás dessa figuraça. Ele é o personagem principal do clipe da composição, escrita por Passarinho Teixeira Nunes e musicada por Beto Vilaverde e Gerson Brandolt, lançado na tarde da última quinta-feira (8).

João Batista Oliveira, nasceu nos Pinheiros, e por lá viveu até seus 17 anos. Veio para cidade servir ao Exército, no 12º BE Cmb, onde cumpriu com seu dever. Atualmente reside no bairro Saint Pasteur, e possui um casal de filhos. Solteiro, o alambrador se diz um gaúcho soberano. Ostenta um pentacampeonato de trova na Campereada Internacional de Alegrete. Trovador de carteirinha do Palco dos Artistas, João Batista participa de festivais e é reconhecido pelo timbre forte nas trovas.

Em 1986, se dedicou a poesia. Após uma fratura no joelho, durante a recuperação foi escrevendo poesias. Ele conta que numa delas havia deixado sem título. Quando foi apresentar outros artistas sugeriram: – Coloca chairado, total tu tá chairado mesmo – relembra o trovador. Daí em diante o apelido pegou. O Índio Chairado do Alegrete, é figura conhecida no meio musical tradicionalista. Foi recentemente reconhecido numa homenagem do grupo Os Chacreiros, estrelando a canção “No cabo do socador”.

Como um gaúcho soberano, o Chairado de Alegrete já está de malas prontas. Vai trabalhar numa fazenda na cidade de Quaraí. Garante que nas horas vagas vai aperfeiçoar mais umas trovas para voltar afiado. Total ele mesmo se auto define: Sou um índio, o Chairado do Alegrete, um gaúcho soberano.

Júlio Cesar Santos                                                  Fotos: PAT e Antônio Moisés Dorneles

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*