Após forjar sumiço, homem confessa ter matado esposa com golpes de capacete em Bagé


Rodrigo Fonseca Garcia havia registrado na polícia o desaparecimento da companheira, mas, após cair em contradição, assumiu o crime e apontou o paradeiro do corpo

Chegou ao fim de maneira trágica a investigação sobre o desaparecimento de Darlene da Silva Pires, 36 anos, em Bagé, na Região da Campanha. Agentes da Polícia Civil encontraram, na madrugada desta quinta-feira (12), o corpo da mulher na área rural do município. Além disso, prenderam a pessoa que registrou o sumiço: o companheiro dela, Rodrigo Fonseca Garcia, 31 anos.

A Delegacia da Mulher (Deam) e a 2ª Delegacia de Polícia vinham investigando o desaparecimento desde a segunda-feira (9). O marido dela procurou a polícia informando que não a via desde a tarde de domingo, quando a moto em que eles estavam estragou em uma estrada da área rural e ela pegou uma carona com um carro que passava para voltar até a cidade. Depois, ela não teria ligado de volta. No início, a versão apresentada por ele até parecia verossímil, mas logo veio a desconfiança dos policiais.

— A frieza dele levou a gente a suspeitar. O companheiro registra que ela desapareceu no domingo, registra só na segunda, e com um relato muito frio. Foi muito estranho que ele não estivesse super preocupado, desesperado — afirma a delegada Carem do Nascimento, da Deam.

Os policiais perceberam que a versão dele não tinha, também, uma cronologia bem apresentada. O casal foi visto junto na última vez no sábado, e desde então ela não se comunicara mais com ninguém — e não no domingo, como ele disse. Após uma série de questionamentos dos policiais, o próprio marido confessou o crime.

De acordo com a delegada, o homem afirmou que matou sua mulher após uma discussão por causa da moto em que eles estavam. O veículo teria apresentado problema e, por isso, os dois começaram a discutir.

— Ele contou que a golpeou próximo dos olhos com o próprio capacete da vítima e depois a esganou. É um crime com motivo fútil e realmente muito cruel — relata a delegada.

O próprio homem levou os policiais até o local onde estava o cadáver. O corpo foi encontrado enterrado em uma cova rasa às margens de uma estrada na localidade conhecida como Corredor das Três Flores, a cerca de 45 quilômetros do centro da cidade.

O homem foi preso preventivamente pelo crime de feminicídio e ocultação de cadáver. Ele deu detalhes do ocorrido em depoimento formal aos policiais. De acordo com a delegada, ele trabalha como peão em estâncias da Campanha e não tinha histórico de violência contra a mulher.

Até as 8h30min, o local do crime ainda estava isolado. A polícia aguarda a chegada de agentes do Instituto-Geral de Perícias (IGP) de Santana do Livramento, distante mais de 160km, já que não há peritos em Bagé.

Darlene, que estava com Garcia há um ano e oito meses, deixa quatro filhos, de 15, 11, nove e cinco anos, frutos de um relacionamento anterior.

Fonte: Gaúcha

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*