Após perder a filha para o câncer e sofrer acidente, ex-PM muda carreira e se forma em fisioterapia


Gilson dos Santos, de 48 anos, resolveu mudar de vida após uma tragédia pessoal. Dez anos depois de precisar da fisioterapia para recuperar os movimentos, ele receberá o diploma.

A policial militar Gilson dos Santos, de 48 anos, resolveu mudar de carreira após uma tragédia pessoal. Em 2006, ele perdeu a filha de 13 anos, para um câncer. Pouco depois, sofreu um grave acidente de moto e chegou a perder os movimentos do corpo. Ele decidiu retribuir a volta por cima ajudando outras pessoas. Gilson está prestes a se formar em fisioterapia.

A história de superação do morador de Cruz Alta, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, começou em março de 2006. Nessa época, Ruana, a filha mais velha de Gilson, foi diagnosticada com um tipo raro de câncer. A menina ficou internada no hospital por quatro meses, mas acabou morrendo.

“Eu busquei respostas em todos os lugares todos. Do mais iluminado ao mais sombrio e não encontrei”, lembra ele.

E 25 dias depois de perder a filha, Gilson sofreu um grave acidente. Foram 20 dias na UTI e o diagnóstico de traumatismo crânio-encefálico, causado pelo impacto. Sem movimentos e preso a uma cama, ele precisou encontrar motivos para não desistir.

“Eu tive que viver o luto da minha filha trancado dentro de mim. Meu corpo era simplesmente uma caixa para minha alma, o único movimento que eu tinha era do braço esquerdo”, recorda.

Por dois anos, ele dependeu do cuidado de outras pessoas. Aos poucos, foi recuperando a autonomia.

“Tivemos que ensinar tudo de novo. Caminhar, comer com a própria mão, falar, que ainda ele se atrapalha. Mas graças a Deus estamos aí, ele está bem agora, está com a cabeça boa para passar isso tudo” , diz a mãe, Iracy dos Santos.

Gilson contou com apoio da mãe para se recuperar do acidente e do luto pela morte da filha (Foto: Reprodução/RBS TV)

Gilson contou com apoio da mãe para se recuperar do acidente e do luto pela morte da filha (Foto: Reprodução/RBS TV)

E foi na gratidão que ele encontrou forças para recuperar a alegria de viver.

“A minha ideia era devolver tudo aquilo que tinham feito por mim, porque entre amigos, família e profissionais eu fui muito bem acompanhado”, afirma.

Foi por isso que ele decidiu estudar fisioterapia. O curso ajudou Gilson a se redescobrir.

“Eu já estava naquele conceito, depois do meu acidente, de rever pensamentos, rever ideias. E com essa turma, tudo isso que veio acontecendo dentro da faculdade foi essencial para reaprender tudo de novo, sabe?”, explica ele.

Dez anos depois de ter precisado da fisioterapia para recuperar os movimentos, quem auxilia os pacientes é ele.

“O Gilson sempre foi um aluno muito dedicado. Toda a graduação e eu acho que talvez por tudo que ele passou, ele acabou se apaixonando pela fisioterapia como paciente, né?”, comenta a professora universitária Kalina Keller. “E agora ele está conseguindo estar do outro lado, atender as pessoas. A gente percebe que ele tem muita humanização, muito trato com as pessoas”, completa.

Do acidente, ficaram apenas algumas sequelas na fala e no caminhar.

“Ele conseguiu, né? Caminhar com as próprias pernas, ele agora se vira”, orgulha-se a mãe.

No próximo sábado (13), Gilson receberá o diploma na cerimônia de formatura da faculdade.

“Hoje eu sei o caminho da felicidade. Hoje eu sei!”.

Ex-PM, Gilson mudou de carreira e vai se formar em fisioterapia no dia 13 de janeiro (Foto: Reprodução/RBS TV)

Ex-PM, Gilson mudou de carreira e vai se formar em fisioterapia no dia 13 de janeiro (Foto: Reprodução/RBS TV)

Fonte: G1

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*