Apreensões, arremessos de celulares e drogas no Presídio de Alegrete


A situação continua caótica no Presídio Estadual de Alegrete.

Com o prédio deteriorado e com grave problema estrutural, a superlotação continua. Na sexta-feira (8), por volta das 10h, havia 235 apenados, numa casa prisional antiga construída para 81 presos. Outro agravante é os constantes arremessos e apreensões de drogas e celulares.

Na semana que passou, os agentes encontraram maconha na ala feminina, onde foi identificada a apenada responsável por esconder a droga na cela. Durante uma visita, uma senhora foi flagrada saindo com um celular escondido numa sacola, após visitar o filho na cadeia.

Seis celulares, fones de ouvido, carregadores e chips foram encontrados pelos agentes, o pacote teria sido arremessado para o pátio, onde os servidores públicos acharam durante a revista externa.

Durante uma revista de rotina, um preso escondia dois celular com chip, um carregador e um fone de ouvido. Os objetos estavam em meio às roupas do presidiário.

Nesta semana, uma Comissão dos Direitos Humanos esteve visitando o Presídio que está com interdição parcial e tramitando na Justiça, um pedido de intervenção total. Segundo apurado, uma tela para coibir os arremessos seria implantada na casa prisional, mas até o momento não há uma definição concreta.

A massa carcerária de Alegrete, ainda, importa 60 presos em sistema de rodízio, em mais três cadeias públicas da região.

Júlio Cesar Santos

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*