Assaltante invade minimercado, mata um refém e deixa um ferido

Crime ocorreu no bairro São José, na Região Centro-Leste, no sábado à noite

 

Um cliente de um minimercado, localizado no Bairro São José, Região Centro-Leste, morreu após ter sido feito refém e tentar reagir a um assalto, ocorrido no sábado à noite. O estabelecimento fica na rua Antônio Botega.

Conforme a ocorrência policial registrada na Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA), por volta das 20h, o Minimercado No Ponto foi invadido por dois homens. Um deles segurava uma arma de fogo. A dupla rendeu dois clientes que bebiam em uma mesa em frente ao local.

 

A vítima, identificada como Luiz Roque Corrêa da Silva, 49 anos, foi feita refém e levada ao interior do estabelecimento calçada com a arma de fogo na nuca. O proprietário e um funcionário estavam dentro do prédio no momento do crime. A dupla de assaltantes teria anunciado o assalto e exigido a carteira do dono do minimercado que, junto com o funcionário, estava de costas para os suspeitos.

Os assaltantes não teriam conseguido pegar a carteira do bolso do proprietário, então, ele teria atirado o objeto no chão. Quando os criminosos foram recolher a carteira, Silva teria reagido, tentando se desvencilhar dos bandidos. A vítima foi atingida por um tiro no ângulo interno do olho direito e morreu no local.

 

Nesse momento, o amigo da vítima, Ênio Luiz Bilibio, 52 anos, que ainda estava do lado de fora do estabelecimento, teria entrado para auxiliar o baleado e também foi alvejado com dois tiros: um no abdômen e outro na perna. Bilibio foi socorrido pelo funcionário do minimercado, levado ao Pronto-Atendimento do Patronato e, depois, transferido para Hospital Universitário de Santa Maria. Ele passou por cirurgia e está na sala de recuperação do Bloco Cirúrgico. O estado de saúde é estável.

Os assaltantes fugiram a pé, levando a carteira do dono do minimercado que tinha R$ 800, documentos e cartões. De acordo com um familiar da vítima, que entrou em contato com o Diário pelo Facebook, Silva teria ido ao local para fazer compras.

– As compras dele ficaram no chão, pois era alimento e não bebida. Ele estava fazendo uma janta para os filhos e a esposa. Ele só queria comprar o que faltou – comentou a familiar.

Fonte: Diário de Santa Maria

 

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*