Baiukinha: O Rei dos Doguinhos

 

Completando 40 anos em vendas de lanches, Edson Canto Regina, já rodou muito pelo centro da cidade. O Portal Alegrete Tudo foi conversar com essa figura conhecida e carismática que viu crescer gerações. Sempre vendendo o popular cachorro quente que atualmente é chamado por outros nomes. Confira os principais trechos da entrevista.

SAM_2026

 

Portal: De onde vem essa aptidão para fazer lanches ?

Edson: Começou por acaso em 1984, quando fiquei desempregado em virtude da morte do Doutor José Pinto Bicca de Medeiros, com quem eu trabalhava. Daí comprei um buggy conversível, e quando chegou o inverno, o Nelson Estigarribia me falou que um conhecido dele tinha um treiller e queria se desfazer do negócio.
Era o Baiukão e eu já não aguentava o buggy. O Nelson me fez entregar o carro e dar uma diferença para ele. Foi aí o começo nos lanches com meus irmãos, o Edilson que hoje tem uma kombi de lanches na Praça Nova e o Paulinho da Latinha lancheria também na Praça.
Portal: Quantos anos fazendo lanches ali no Centro Cultural ?
Edson: No Centro Cultural fiquei 26 anos, só saí dali quando iniciaram as reformas no largo. Tive e ir trabalhar em casa que é mais fácil.
a cc
Portal: Qual a lembrança mais viva daquele ponto ?
Edson: Nossa muitas!  As reuniões no fim de tarde. Ali não tinha estranhos, chegavam e já faziam parte da casa, amizade total. Vinha gente de tudo que era lugar. O pessoal da Rádio Alegrete que trabalhava ali sempre me apoiaram. Fiz amigos que são eternos, muita gente boa, a exemplo dos alunos do Oswaldo Aranha, uns até hoje são meus clientes, se eu te contar tudo dá um livro.
SAM_2028
Portal: E o Baiukinha, como iniciou essa história ?
Edson: Como te disse, em 1994 estava uma crise violenta, não vendia nada, comprava de manhã por um preço, de tarde era outro. Aí pensei numa maneira de atrair o cliente, nascia assim “Doguinho” de 0.50 centavos, na época. Sobrava a metade do lucro. Vendia muito. Uma média de 500 pães por dia.
Abri o Baiukinha lanches na Praça Getúlio Vargas, num terreno ao lado, hoje da loja Martini, onde é o Museu Oswaldo Aranha. A minha companheira Carmem foi pra lá com a Cristina que é nossa comadre. A clientela era dos colégios ali da volta. Hoje, várias vezes, encontro gente que frequentava ali. Doutores, pais e avós, eles aparecem aqui em casa. Gente essa que frequentava lá quando eram crianças. Tivemos de  fechar quando foram construir no local.
SAM_2023
Portal: Qual o tipo de lanche que é o mais pedido pela clientela ?
Edson: O mais pedido é o doguinho de R$ 1. Vende uma média de 400 por dia.  No sábado e domingo dá uns mil, é barato e muito bom. A rapidez é um diferencial. Sempre têm quatro pessoas, eu, Carmem, Ana Luiza, Jocélia e agora o Tiaguinho. Tive de contratar mais um, pois aumentou o movimento com esse calor.
SAM_2022
Portal:  Qual o segredo do Doguinho ?
Edson: A qualidade, o preço e o atendimento. Também a higiene do local onde é feito e a rapidez. Aqui vem gente de tudo que bairro do Alegrete .
SAM_2024
Portal: Para quem está de dieta qual a sugestão do Baiukinha ?
Edson: Bah, se quiser emagrecer coma só 3 doguinhos, se quer engordar coma quantos puder (brinca).
SAM_2021
Portal: Hoje em dia existem várias alternativas, da para sobreviver só com a venda de lanches ?
Edson: Sim. Você não pode parar de comer. A nossa clientela aumenta todos os dias, aqui vem gente de todas as idades e poder aquisitivo. Procuro sempre melhorar a qualidade e o atendimento. A baiukinha lanches é na Vereador Carbonell ,229 .Espero vocês.
SAM_2027
Por: Júlio Cesar Santos da Luz

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Curta nossa Fan Page

1 Comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*