Balada Segura em dois pontos abordou mais de 130 veículos

Balada Segura do último sábado abordou 132 veículos entre carros e motos em dois pontos da cidade. A estratégia do local ser itinerante é devido ao alerta realizado através de grupos de whatsApp entre outros, avisando o local da blitz. Apesar de ser crime, isto ainda é uma prática muito comum pelos condutores.Quem alertar sobre barreiras pode ser condenado a até cinco anos de prisão, se identificado.

Inicialmente na General Sampaio, em frente ao Banco Santander, foram abordados 103 veículos, destes 81 carros e 22 motos, já na rua Vasco Alves, em frente a Policlínica, foram 29 abordagens, sendo 26 carros e 3 motos. No total de 16 autos de infração.

Três motoristas foram multados pela recusa no teste do etilômetro, três por dirigir sob influência de álcool, mas inferior a 0,34mg/l que é caracterizado crime, quatro veículos recolhidos ao Depósito do Detran, quatro por entregar veículo a pessoa não habilitada, um desobedecer às ordens de PARE, uma por não ter CNH.

A ação durou mais de cinco horas e contou com a participação do Diretor da Guarda Municipal, Paulo César Rodrigues, e mais 10 guardas municipais além de quatro funcionários que fazem parte da Secretaria de Segurança Cidadania e Mobilidade Urbana, assim como o Secretário, Luciano Pereira.

Recusa ao teste

O motorista que se recusa a fazer o teste do etilômetro também é penalizado com multa de R$ 2.934,70 e suspensão do direito de dirigir por 12 meses. O argumento de que ninguém é obrigado a produzir provas contra si não se aplica nessa situação porque o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), no artigo 165-A, prevê essas penalidades pelo simples fato da recusa.

Em caso de reincidência nos 12 meses seguintes, o valor da multa dobra (R$ 5.869,40) e a CNH é cassada por dois anos. Se o condutor recusa a soprar o bafômetro e aparenta sinais de embriaguez, o que pode caracterizar crime, ele é encaminhado ao médico-perito da blitz para o exame clínico no local.

Flaviane Favero

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*