Cápsula do tempo é desenterrada após 88 anos em Pelotas e vira assunto na cidade

Caixa misteriosa foi escondida em 1931 junto a monumento em homenagem a Yolanda Pereira, primeira brasileira a conquistar o título de Miss Universo. Objeto ainda não foi aberto e tem despertado a curiosidade de moradores.

Uma cápsula do tempo escondida há 88 anos virou assunto entre os moradores de Pelotas, no Sul do Rio Grande do Sul. Desenterrada na tarde de terça-feira (7) pela prefeitura, a caixa, já enferrujada, passa por um processo de limpeza para que possa ser aberta, o que ainda não tem data para ocorrer.

Enquanto isso, a comunidade segue curiosa para saber o que tem dentro do objeto misterioso. A caixa foi escondida em 1931, por ideia de jornalistas e lideranças políticas da época, na praça principal do município junto a um monumento em homenagem a Yolanda Pereira. Aos 20 anos, ela foi a primeira brasileira a conquistar o título de Miss Universo, em 1930.

A ideia era que a cápsula do tempo fosse aberta em comemoração aos 50 anos do título. Só que ela acabou sendo esquecida.

Yolanda Pereira foi a primeira brasileira a conquistar o título de Miss Universo, em 1930 — Foto: Reprodução/RBS TV

Yolanda Pereira foi a primeira brasileira a conquistar o título de Miss Universo, em 1930 — Foto: Reprodução/RBS TV

Anos mais tarde, ao entrar em contato com almanaques antigos de Pelotas, o pesquisador Guilherme Pinto de Almeida soube da existência do objeto escondido.

“Foi um grande ufanismo da cidade. Então, eles escrevem minuciosamente como foi a cerimônia e tudo que existe na cápsula e todos os votos que eles faziam para as pessoas do futuro. É uma mensagem que o pessoal em 1930 deixou para o futuro, né? Então, a gente queria ler essa mensagem e fazer essa homenagem”, conta o pesquisador.

Guilherme já sabe o que tem dentro da caixa, mas decidiu guardar o segredo, que só será revelado depois que a cápsula for aberta.

Caixa passa por limpeza e ainda não tem data para ser aberta — Foto: Reprodução/RBS TV

Caixa passa por limpeza e ainda não tem data para ser aberta — Foto: Reprodução/RBS TV

A conservadora e restauradora Fabiane Rodrigues Moraes, responsável pela abertura da caixa, detalha as etapas. “No primeiro momento, a limpeza. A gente fez essa limpeza com pincel, limpeza mecânica. Depois, a gente vai tentar algum produto químico do restauro”, explica.

Enquanto isso, os moradores arriscam alguns palpites. “Creio que deva ser alguma coisa pessoal dela [da Yolanda] ou alguma coisa tradicional de Pelotas”, supõe o vendedor Maicon Araújo.

“Seria bem legal saber o que é, porque agora eu fiquei curiosa”, diz a estudante Eduarda Azeredo.

Fonte: G1

Compartilhe
  • 54
  •  
  •  
  •  
  •  
    54
    Shares
Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*