Cargos de confiança do primeiro escalão da Câmara ganham mais que vereadores

Somente 5 dos 18 cargos em comissão da direção do Legislativo de Santa Maria serão mantidos

Daniel Diniz, ao fundo, à direita, e os três colegas da bancada petista indicarão CCs

Fotos: Lucas Amorelli (Diário)/Novo presidente da Câmara de Santa Maria, Alexandre Vargas (ao centro) e aliados indicarão os 18 cargos de confiança da Mesa Diretora do Legislativo

Apenas quatro dos 18 cargos de confiança da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Santa Maria serão mantidos em 2018. A chapa que venceu a eleição para comandar a Casa no segundo ano da atual legislatura vai indicar todos os CCs. Uma das pessoas mantidas é Maria Lenir Alves Mello, que há mais de duas décadas trabalha como cargo em comissão no Legislativo.

A indicação dos CCs da Mesa é uma das principais razões da disputa pelo comando da Câmara. Os três principais cargos – chefe de Gabinete da Presidência, secretário-geral e procurador jurídico – têm os salários mais altos.

Cada um ganha R$ 11,4 mil, superando o salário do vereador, que é de R$ 9,6 mil. Só o presidente Alexandre Vargas (PRB), eleito na quinta-feira, ganhará mais. Como tem verba de representação para representar a Casa, o chefe do Legislativo ganha R$ 11,6 mil.

O segundo escalão é composto por cinco diretorias, sendo que uma delas, a Diretoria Financeira, obrigatoriamente deve ser ocupada por servidor da Câmara, que recebe uma gratificação de R$ 1,7 mil mais o salário. Os demais, que não precisam ter vínculo com a Casa, ganham salários de R$ 5,7 mil.

O terceiro escalão é formado por cinco assessorias com salários de R$ 3,2 mil. O quarto escalão tem quatro chefias de Divisão, uma delas reservada exclusivamente para funcionário da Casa, que recebe uma gratificação de R$ 712 pela função, que é somada ao salário. O salário dos demais é de R$ 2,3 mil.

Integrantes da chapa vencedora já definiram em torno de 12 nomeações. Algumas ainda estavam sendo discutidas na sexta-feira. A confirmação da lista (abaixo) deverá ocorrer a partir de terça-feira. Os três integrantes do primeiro escalão já estão definidos: Julio Cesar Santos será o novo chefe de Gabinete da Presidência. Em 2017, ele foi chefe de Gabinete de Alexandre Vargas. No lugar de Julio Santos, Alexandre deverá nomear outro chefe de Gabinete, a que ele tem direito como parlamentar. Pelo outros três vereadores farão mudanças em seus gabinetes porque indicaram assessores para cargos de confiança da Mesa Diretora. São os casos de Luciano Guerra (PT), Daniel Diniz (PT), Deili Granville Silva (PTB), Drª Deili; e Jorge Trindade (Rede), Jorjão.

– Vamos ter todas as definições lá por terça ou quarta-feira – disse, no dia da eleição, o presidente eleito.

Apesar de a maioria dos cargos estar acertada antes mesmo da eleição da Mesa, algumas questões ficam pendentes e são acertadas depois.

Servidora mais antiga da Casa é mantida

Há 22 anos, Maria Lenir Alves de Mello, a Lena, 60 anos, trabalha como cargo de confiança na Câmara de Santa Maria. Alexandre Vargas será o oitavo presidente com quem Lena trabalhará. Ela já assessorou Manoel Badke (DEM), Maneco, Marcelo Bisogno (PDT), Werner Rempel (PPL), Deilli Silva (PTB), Dra Deili, Sérgio Cechin (PP), Luiz Carlos Fort (PT) e Admar Pozzobom (PSDB).

No seu discurso de despedida da presidência, na tarde de quinta-feira, Admar Pozzobom elogiou a servidora, que não é funcionária da Casa, mas é reconhecida pelos mais diversos partidos.

Na sexta-feira, o novo chefe de Gabinete, Julio Cesar Santos, confirmou que Alexandre manteria Lena como assessora da Presidência.

 

– Aqui dentro não tenho cor partidária, trato todos de forma igual. Adoro a minha função – diz Lena.

Além dela, foram mantidos Lorenço Dutra (assessor da Diretoria Legislativa), Henrique Ramires (Almoxarifado) e Jeferson Nunes (Compras). Existe, ainda, a possibilidade de a servidora Roselaine Sonego Bonaldo permanecer como chefe da Diretoria Financeira, cargo que só pode ser ocupado por funcionário da Casa.

PT inverte nomes da Diretoria de Comunicação e da Diretoria de Recursos Humanos

Os vereadores petistas Luciano Guerra e Valdir Oliveira entraram em acordo para resolver um impasse. Valdir havia indicado o designer Luciano Ribas para a Diretoria de Comunicação, enquanto Guerra indicou o jornalista Fabrício Vargas para a Diretoria de RH. Na sexta-feira, Ribas foi anunciado como diretor de RH e Fabricio para chefiar a comunicação.

– Há uma resolução de 2010 que diz que a Comunicação tem que ser chefiada por um jornalista. E o Luciano tem experiência de gestão – justifica Valdir.

Ribas foi secretário nas prefeituras de Santa Maria e Canoas e trabalhou no governo Tarso Genro.

Fonte: Diário de Santa Maria

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*