“Cena de filme de terror”, descrevem os alegretenses do ônibus usado no assalto em Santa Margarida

Na madrugada de ontem(14), por volta das 2h30min., um ônibus da empresa Planalto foi usado como barreira na BR 290, próximo a Vila Nova do Sul. Um grupo de aproximadamente seis homens, todos encapuzados e fortemente armados, somente com armas pesadas, como fuzil e metralhadoras, abordaram o transporte coletivo interurbano e fizeram três pessoas de reféns.

O veículo que saiu de Alegrete às 23h tinha como destino Porto Alegre. Ele saiu, da Rodoviária de Alegrete, com 30 passageiros e parou nas cidades de Rosário do Sul e São Gabriel.

O Portal Alegrete Tudo identificou alguns passageiros e falou com eles sobre o “pesadelo”, como um deles descreveu,durante os cerca de 30 minutos da ação criminosa. Este foi aproximadamente o tempo em que os assaltantes ficaram com os reféns para realizarem a explosão de bancos no município de Vila Nova do Sul.

O veículo serviu para bloquear a passagem da via que acessa o Município onde ocorria o roubo. Ninguém ficou ferido. Os criminosos seguiram pela rodovia em direção a Caçapava do Sul.

Acompanhe os relatos:

“Estávamos chegando em Vila Nova quando um Sandero abordou o ônibus. Daí mandaram uma moça, uma senhora e o motorista descer.  Os levaram como refém. Ficaram com eles por  aproximadamente uns 20 ou 30 minutos, nesse período explodiram o banco e atiravam para cima. Ficamos esses minutos em pânico até levarem o dinheiro do banco. Depois liberam as duas passageiras e o motorista e retornamos para BR 290.  Foi então que foi solicitado outro motorista e assim, seguimos viagem. Ficamos mais de um hora na BR 290 esperando o outro funcionário da empresa Planalto.” – assim descreveu um jovem alegretense de 26 anos que estava em Alegrete para passar o Dia dos Pais. Atualmente ele mora em Porto Alegre.

Outra passageira, também, alegretense de 25 anos que estava no município para visitar familiares e levar o filho de 8 anos, que estava passeando na casa do pai, descreveu que a cena foi de um filme de terror.
Já o autônomo de 36 anos que está com problemas de saúde na família e precisou se deslocar até a Capital, falou que por alguns minutos, o desespero era saber o que mais eles poderiam querer, se iriam entrar no ônibus, se levariam as pessoas como reféns, fariam cordão humano…foram muitos pensamentos e momento de oração também. “Pensava nos meus filhos, nos meus pais…é muito difícil descrever passa um filme na cabeça”.
Também houve àqueles passageiros que assim que foram liberados fizeram contato com a família. A vontade, segundo eles, era de ouvir a voz de quem se ama, desabafar ou até mesmo chorar por telefone.
Em contato com a empresa Planalto, foi informado através do setor de Relações Públicas, que o motorista está passando por atendimento médico e psicológico. Ele foi afastado da escala sem previsão de retorno. O homem é um funcionário experiente e que há anos está na empresa. Ele foi um dos reféns que ficou sob a mira de um fuzil. A empresa Planalto salienta que muito mais que ver como colaboradores, o lado humano e solidário se sobressai. E, dessa forma, o motorista está recebendo todo auxílio necessário.
Depois de ser liberado o motorista solicitou que a empresa enviasse outro funcionário para que eles pudessem seguir viagem. A chegada em Porto Alegre aconteceu por volta das 8h15min., de terça-feira(14).
A ação dos criminosos:

Segundo o Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO), os indivíduos, em torno de seis, fugiram em um veículo Sandero de cor prata. A ação foi por volta das 2h30min, em Vila Nova do Sul, na região Central, os criminosos utilizaram explosivos para acessar o dinheiro das agências do Banrisul e do Banco do Brasil.

O efetivo da Brigada Militar (BM) que atende Vila Nova do Sul também é responsável por Santa Margarida do Sul, distante cerca de 20 km. A BM faz buscas na região à procura dos criminosos.

Vila Nova do Sul, tem cerca de 4,3 mil habitantes, também teve ataque com explosivos nas mesmas duas agências em 10 de agosto de 2017. Uma outra ação havia ocorrido em novembro de 2013, na unidade do Banrisul.

Desta vez, um ônibus foi utilizado como barreira para ação de criminosos que, com armamento pesado, assaltaram duas agências bancárias em Vila Nova do Sul. No trajeto, eles abordaram um ônibus da empresa Planalto, que saiu aqui da cidade.

Flaviane Favero

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*