Cerca de 150 fiéis participaram de procissão aos 70 anos do Santuário de Schoenstatt


Atividade ocorreu na manhã deste domingo, na Avenida Dores


Foto: Joyce Noronha
Procissão saiu da Igreja Nossa Senhora das Dores e foi até o Santuário de Schoenstatt

As celebrações aos 70 anos do Santuário Tabor, localizado na Avenida Nossa Senhora das Dores, em Santa Maria, e que é o primeiro do Movimento Apostólico Schoenstatt do Brasil, ocorreram durante este domingo. A programação começou com missa festiva na Igreja Nossa Senhora das Dores e seguiu com uma procissão até o Santuário Tabor, relembrando como ocorreu em 1948, quando o santuário foi inaugurado.

Cerca de 150 fiéis participaram da caminhada, que foi envolta a cânticos, orações e emoções. O filho do Diácono João Luiz Pozzobon, Humberto Pozzobon, 75 anos, diz que participar das comemorações do Santuário de Schoenstatt é muito emocionante. Ele lembra que o pai ajudou na fundação da Casa de Retiro e do próprio Santuário Tabor. Na procissão, Humberto ajudou a carregar a imagem da Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt.

_ Eu até acho que estava aqui na inauguração do Santuário, mas não posso afirmar com certeza, eu tinha 5 anos na época. Lembro que meu pai sempre trazia os filhos para missas e outras atividades. É um orgulho muito grande saber que a história da minha família se mescla à história do Tabor. É uma bênção de Deus _ diz o filho do Diácono.

Para a irmã Raquel Mainardi, 79 anos, a situação é semelhante. Ela faz parte da congregação há 58 anos, mas frequenta o santuário desde que tinha 9 anos, quando o Tabor foi inaugurado. Irmã Raquel diz que estar presente nas celebrações de 70 anos é muito comovente, porque, como irmã, ela poderia trabalhar em qualquer lugar do mundo com a missão, mas estar aqui, ainda mais por ser “filha de Santa Maria”, é uma bênção.

APROXIMAÇÃO 
A comerciária aposentada Marinita Maciel, 78 anos, conta que foi a primeira vez que participou da procissão do Santuário de Schoenstatt e achou lindíssima. Ela diz que se mudou há pouco para perto do Tabor e que pretende participar das atividades da congregação.

_ Antes eu frequentava as missas e atividades de outra igreja da cidade, mas agora é longe para ir até lá. Vou fazer minhas visitas aqui para manter minha proximidade com o Santíssimo e buscar minha paz, assim como as irmãs me acalmam ao conversarmos _ diz Marinita.


Foto: Gabriel Haesbaert
Um cerimônia no Santuário Tabor encerrou a procissão

A HISTÓRIA 
O Santuário Tabor, na Avenida Nossa Senhora das Dores, foi o primeiro local em território brasileiro escolhido pelo padre alemão José Kentenich, fundador do movimento, para sediar a reprodução da capela original em Schoenstatt, uma localidade da cidade de Vallendar, no oeste da Alemanha.

Na Europa, o santuário que deu origem aos demais era uma capela abandonada, adotada pelo Movimento em 1914, por meio da Aliança de Amor com a Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt, selada pelo padre Kentenich. Depois da edificação em Santa Maria, outras 22 construções idênticas foram construídas pelo país.

Fonte: Diário de Santa Maria

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*