Cheias deixam 11,5 mil pessoas fora de casa no Rio Grande do Sul

Do total, 2.615 estão desabrigadas e 8.886 estão desalojadas

 

Já são 11.501 pessoas que tiveram de deixar suas casas por causa das cheias que castigam o Rio Grande do Sul desde a semana passada. A Defesa Civil estadual, que monitora a situação, atualizou o balanço para 2.615 desabrigados e 8.886 desalojados no início da noite deste domingo.

São 62 municípios afetados, e os que concentram os maiores números de moradores fora de suas casas são Santa Cruz do Sul, Porto Xavier, Iraí, São Borja e Porto Mauá.

desalojados
A chuva teve início na segunda-feira, mas foi na quinta que ganhou proporções maiores, sobretudo nas regiões Norte e Noroeste. O resultado foi casas encobertas por águas de rios, ruas submersas, acessos a localidades bloqueados e pontes interrompidas. Na Fronteira, o problema chegou mais tarde. Na sexta-feira, a Defesa Civil de São Borja intensificou o trabalho para convencer quem mora à beira do Rio Uruguai a deixar as casas.

Em Frederico Westphalen, foi montada a Central de Comando da Defesa Civil, que concentra o auxilio às cidades atingidas pelas chuvas nas regiões Alto Uruguai, Norte, Celeiro, Noroeste, Fronteira Noroeste e Missões. Para lá, também foram deslocados militares do Exército, que auxiliam na distribuição de alimentos e água em diferentes municípios.

A instabilidade do tempo da última semana deve deixar o Estado a partir de terça-feira. O Norte, por exemplo, já apresentou melhora considerável das condições climáticas. O motivo é o deslocamento de uma frente fria do continente em direção ao mar. Acompanhada de um ciclone, a frente fria deve causar chuva na segunda-feira. A precipitação, no entanto, deverá ter volume inferior ao que vem sendo registrado.

 

Fonte: Zero Hora

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *