Como fica o trabalho em dias de jogos do Brasil na Copa da Rússia


E como fica o trabalho em dias de jogo do Brasil ? Neste domingo é tranquilo, dia de folga, a torcida não encontrará obstáculo se quiser olhar a equipe do Tite.

Mas os próximos dois são em dias de semana. Na sexta-feira (22), às 9h, o Brasil encara a Costa Rica e dia 27, às 15h, joga contra a Sérvia.

Embora o clima da Copa do Mundo não tenha contagiado o alegretense ainda, o show de abertura ocorre às 11h30min (horário de Brasília) desta quinta-feira (14).

O brasileiro Ronaldo Fenômeno será uma das estrelas do evento.  O Fenômeno vai estar acompanhado do cantor britânico Robbie Williams e da cantora lírica mais famosa da Rússia, Aida Garifullina.

Logo após o show de abertura,Rússia e Arábia Saudita fazem o primeiro jogo no do Mundial no Estádio Luzhniki, em Moscou. A partida começará ao meio-dia (horário de Brasília). Esse será o único jogo do dia e é a primeira vez que os dois países se enfrentarão em uma Copa.

A seleção brasileira estreia no domingo (17), às 15h, em Rostov. O adversário será a Suiça. Historicamente o adversário é uma seleção muito difícil de ser batida em Copas do Mundo. A equipe que chega para 2018 não é diferente. Apesar de ter precisado da repescagem para se classificar, foi muito bem nas Eliminatórias, permanecendo invicta até o último jogo do Grupo B, contra o líder Portugal. Uma das apostas está no trio Behrami, Shaqiri e Dzemaili.

Para muita gente dia de jogo da Seleção é como qualquer outro aos olhos da legislação trabalhista. A liberação de funcionários é opcional para a empresa, depende da intenção dela em fazer um acordo com os empregados. Caso o empregador decida que nada muda na rotina de trabalho, a jornada será normal.

Conforme um advogado especialista em Direito do Trabalho, dia de jogo da Seleção na Copa do Mundo não é feriado. O profissional alega que tudo é uma questão da vontade da empresa de liberar ou não. “Via de regra, recomendamos uma conversa entre patrão e empregados”, sugere Flávio Ordoque.

Por sanção do presidente Michel Temer, órgãos públicos terão ponto facultativo em horários dos jogos do Brasil, em sua grande maioria farão ajustes na jornada de trabalho.

Para o advogado especialista em causas trabalhistas Eleandro Petroceli Pilar, a compensação de horas seria uma alternativa viável. “O bom senso prevalece numa situação como esta”, comenta Petroceli.

O mesmo entendimento tem a advogada especialista em causas trabalhistas Michele Lopes Ferreira. “O melhor caminho é um acordo, temos uma ferramenta que é a compensação de horas. Afinal, são só 90 minutos, para quem curte futebol”, avalia a profissional.

“Não liberar para assistir aos jogos pode gerar um desconforto com o trabalhador. Pode-se chegar a um meio-termo satisfatório. A empresa pode decidir seguir normalmente, mas não parece o mais indicado”, comenta o especialista em relações trabalhistas e previdenciárias Marcus Vinicius Freitas.

Num contexto geral, o empregador pode decidir liberar os empregados no dia do jogo sem qualquer prejuízo na remuneração e sem necessidade de compensar. Mas isso tem de ficar bem claro entre as partes, alertam os profissionais em advogacia.

O empregador poderá também oferecer um espaço na empresa para os funcionários assistirem aos jogos. Na medida em que eles não se desliguem do trabalho, permanecendo à disposição, se trata de período de trabalho normal, não há desconto no salário e não é necessário compensar o tempo parado.

Muitas empresas podem adotar essa prática por não se perder mais do que duas horas de produção, com os trabalhadores retomando as atividades rapidamente depois do jogo.

Júlio Cesar Santos

 

 

 

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*