Depois da crueldade a esperança de dias melhores


“Parece inimaginável que o “ser(humano)” tenha a capacidade de ser tão cruel” – comenta uma das voluntárias que socorreu um cão no Porto dos Aguateiros. Com um ferimento muito grave em cima da cabeça, que até o momento não há uma certeza se foi água fervente ou um escalpe(cortar agressivamente os cabelos, arrancando-os do couro cabeludo com o auxílio de algum objeto cortante), o cão sobreviveu por um milagre e devido a ajuda de um morador que o alimentava e deu antibióticos.

Uma das voluntárias de um grupo de dez mulheres que resgata animais em situações de maus-tratos, contou à reportagem que o trabalho para retirada do cachorro do local foi bem complicado e durou três dias. Desde que tiveram conhecimento que o animal estava gravemente ferido, elas iniciaram a tentativa de removê-lo com segurança e sem risco às voluntárias.

A história que elas conseguiram apurar com moradores das adjacências no Porto dos Aguateiros foi de que o dono de uma matilha que se encontra na área do Porto, morreu ano passado. Desde então,  um casal alimenta os cães que moram no Mato.

Com o couro da cabeça e as orelhas muito comprometidos o cachorro foi encaminhado à uma clínica onde está hospitalizado. “Os bichos estavam  comendo a cabeça  do cão “.

” Não sabemos quem foi o autor dessa barbárie! “, comentou.

Mas a saga do cãozinho  continua. Devido ao valor dos medicamentos e do fato de que ele terá que ficar internado por no mínimo 15 dias, as voluntárias estão realizando uma campanha para arrecadar valores. Além  de um lar para o cãozinho que está lutando para sobreviver.

Que quiser fazer doações ou adota-lo, pode entrar em contato através do telefone….

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*