Deputada alegretense protesta com “ratos” na votação da reforma da Previdência em Brasília

A Deputada Federal Fernanda Melchionna/PSOL-RS, provocou reação imediata do Presidente da Casa Rodrigo Maia/DEM-RJ, após vitória na Previdência.

Durante o anúncio do resultado da votação do primeiro turno da reforma da Previdência, na última quarta-feira (10), a parlamentar alegretense reafirmou seu voto contra a reforma e protestou fortemente. A cena chamou a  atenção e causou atrito com o presidente da Casa, Rodrigo Maia, que chegou a chorar ao discursar.

A deputada levantou, em protesto, um livro da Constituição com quatro ratos de borracha em alusão aos políticos que votaram a favor da Reforma da Previdência. De acordo com informações o protesto foi motivado durante um protesto de professores na frente da Câmara, onde Fernanda recebeu o livro e entrou para o plenário.
“Eu não queria estar um minuto do lado das ratazanas de terno e gravata que rasgaram a Constituição na noite de hoje!”

Conforme Fernanda, a aprovação do 1º turno da reforma da previdência é uma vergonha. “Como disse Darcy Ribeiro, hoje “eu detestaria estar no lugar de quem me venceu.” Mas não tem vitória definitiva e nem derrota permanente. A luta de classes seguirá sendo o motor da história! Seguiremos lutando em defesa dos trabalhadores”, bradou a parlamentar gaúcha.

A deputada federal alegretense PSOL, usou de ratos de brinquedo na capa da Constituição Federal empunhada por Fernanda. “Uma Constituição com ratos, deputada Fernanda, eu acho que não é aquilo que a gente precisa mostrar do Parlamento para o Brasil”, disse o parlamentar. “Diferente do que Rodrigo Maia diz que “quem quer conhecer a síntese do Brasil que venha à Câmara”, digo: o Brasil é muito melhor que esse bando de ratos que estão no poder saqueando o direito à aposentadoria do povo”, postou a gaúcha em sua rede social.

Fernanda ainda disparou: “A tua piscina tá cheia de ratos, tuas ideias não correspondem aos fatos, o tempo não para”, trecho da música do cantor Cazuza. A Câmara dos Deputados, aprovou na noite de quarta-feira, em primeiro turno, por 379 votos a 131, o texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) de reforma da Previdência, que altera as regras de aposentadoria. Para concluir a votação, os parlamentares ainda precisam analisar emendas e destaques apresentados pelos partidos para tentar alterar pontos específicos da proposta.

Considerada uma das principais apostas da equipe econômica para sanear as contas públicas, a proposta de reforma da Previdência estabelece, entre outros pontos, a imposição de idade mínima para os trabalhadores se aposentarem: 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. Tempo mínimo de contribuição previdenciária passará a ser de 15 anos para as mulheres e 20 anos para os homens, além de regras de transição para quem já está no mercado de trabalho.

“O protesto com a Constituição com ratos, em alusão aos parlamentares que negociaram o direito à aposentadoria do povo, retrata a “nova política” que já nasceu morta nesse governo retrógrado e autoritário de Bolsonaro. Os inimigos estão no poder, mas o tempo não para. Seguiremos a batalha sem esmorecer”, destacou a deputada em seu perfil no Facebook.

Júlio Cesar Santos                                Foto: Bruna Menezes

Compartilhe
  • 741
  •  
  •  
  •  
  •  
    741
    Shares

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*