Dona de Onix atingido por cavalo vai acionar judicialmente a Prefeitura

A dono do carro Onix que bateu em um cavalo, na semana passada, na avenida Tiaraju, vai acionar a Prefeitura alegando que o animal estava em via pública na hora em que o veículo foi atingido.

Helena Maria Mota Menezes é professora e voltava para casa, por volta das 21h, com um enteado. Relata que um cavalo surgiu do nada e “se jogou por cima do carro”. Ela aguarda o registro da Brigada Militar e vai fazer orçamento em três profissionais para entrar com uma ação judicial contra a Prefeitura. E informa que o estrago em seu carro não custa menos de 2 mil reais.

A professora relata que o carona não foi mais atingido, teve apenas um fragmento de vidro no olho, porque  havia se abaixado para pegar o celular bem na hora do acidente. -Chovia muito no momento e só escutamos aquele “barulhão”. Foi horrível, atesta.

O cavalo que teve um corte desde o início do pescoço até quase a barriga passou por atendimento de veterinários e cuidados de voluntários, está se recuperando e se alimenta bem. Mas o dono  não apareceu e o animal está sob cuidados de moradores na Avenida Tiaraju, próximo de onde aconteceu o acidente.

O prefeito em exercício, Márcio Amaral, diz que que se a Câmara votar um projeto de regulamentação de uso de carroças de tração animal e humana que está desde agosto está no Legislativo já ajuda bastante, destaca Amaral.

O projeto de lei foi feito pelos vereadores Rudi Pinto e Marcio Amaral ( ainda em 2015) e quando retornou do Executivo para Câmara, este ano, explica Rudi tinha uma artigo que dizia que se o animal de carroça não estivesse com os exames de sanidade em dia seria abatido – Pedi supressão desse artigo até o projeto voltar para apreciação dos vereadores.

Vera Soares Pedroso

 

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*