Duplicação da BR 290 ganha apoio de deputados, prefeitos, vereadores e representantes comunitários

Frentes Parlamentares pedirão apoio ao governador e planejam pressão sobre Comissão do Orçamento do Congresso.

Representantes de 19 municípios do entorno da BR 290 se reuniram hoje (18) na Assembleia Legislativa para apoiar o relançamento das frentes parlamentares estadual e federal pela duplicação da BR 290. O encontro contou com a participação de prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais. As frentes são coordenadas pelos deputados Luiz Fernando Mainardi, na Assembleia Legislativa, e Henrique Fontana, no Congresso Federal.

No encontro, ficou definido que a mobilização pela duplicação da BR 290 será apresentada ao governador Eduardo Leite para que o assunto seja incorporado na agenda de reivindicações estratégicas para o Rio Grande do Sul. “Não podemos pensar que vamos duplicar a 290 com emendas de bancada”, disse o deputado Henrique Fontana. Para ele, a realização da obra depende de uma decisão governamental, que tenha incidência na definição do Orçamento federal. “Se dependermos de emendas de bancadas, levaremos mais de 20 anos para concluir a obra”, argumentou.

Neste ano, por mobilização das Frentes Parlamentares estadual e federal a bancada gaúcha aprovou uma emenda impositiva de R$ 20 milhões para a obra. O representante do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), Delmar Pelegrini informou que os R$ 20 milhões, apesar de não resolverem o problema, ajudarão a concluir o acesso à Charqueadas e o Viaduto de Pantano Grande, ações que já estão em andamento.

Mainardi, que coordena a Frente Estadual pela duplicação da rodovia, enfatizou a importância econômica da via para o estado e para o Brasil. “Houve um grande crescimento da dinâmica econômica do Brasil e do RS nos últimos 15 anos, o que sobrecarregou a rodovia. Temos cargas de madeira, temos turismo, temos transporte de resíduos sólidos, temos uma intensa produção que precisa desta via em condições de trafegabilidade, o que, infelizmente, ela perdeu faz tempo”, defendeu. Para Mainardi, o caminho mais eficiente é intensificar a pressão junto à Comissão do Orçamento do Congresso. “Nossa bancada federal é fundamental para este movimento. Essa luta é de todos”, concluiu.

Acidentes e mortes

A insegurança da rodovia também foi um aspecto lembrado pelos participantes. Segundo o representante da Polícia Rodoviária Federal (PRF), policial Felipe Barth, a conclusão da duplicação poderia diminuir a incidência de acidentes. “Vidas estão sendo perdidas pelo atraso da obra”, disse. Conforme o policial rodoviário, a duplicação reduz acidentes e reduz, também, a gravidade dos acidentes que porventura continuem a acontecer. Segundo dados da própria PRF, já são 160 mortes desde 2010 num total de 2511 acidentes.

Rodovia estrutural

Os trabalhos de duplicação da BR 290 foram iniciados em 2014, mas só 10% do orçamento foi liberado até agora. Apenas naquele ano houve orçamento destinado à obra. A BR 290 é a principal rodovia transversal do Rio Grande do Sul; possui 726 quilômetros, ligando o litoral gaúcho até Uruguaiana, onde está o maior porto seco da América Latina. É conhecida, também, como rodovia do Mercosul, por ligar São Paulo a Buenos Aires. Desta via, é o único trecho que ainda não está duplicado.

Conforme dados do DNIT, trafegam na rodovia cerca de 20 mil veículos diariamente. Desses, cerca de três mil são caminhões com cargas pesadas ou sensíveis. O limite da atual rodovia é de 11 mil automóveis/dia, o que indica uma situação de saturamento insustentável.

Participaram do encontro, além de vereadores, prefeitos e vice-prefeitos, o presidente da Abur (Associação Brasileira De Usuários De Rodovias) Gerri Machado, os deputados federais Henrique Fontana, Afonso Hann, Marcelo Moraes, Lucas Redecker, Dionilso Marcon e Elvino Bohn Gass, e os deputados estaduais Luiz Fernando Mainardi, Ernani Polo, Fernando Marroni, Frederico Antunes e o presidente da Assembleia Legislativa, Luis Augusto Lara.


Assessora de Imprensa do Mandato Henrique Fontana

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*