Em jogo heroico, Real larga na frente sofre apagão, mas consolida classificação na Liga

Pode-se dizer que foi o reencontro do Real com a torcida. Como todo reencontro teve emoções ao extremo. A barulhenta torcida La Mafia não parou um segundo e fez do ginásio Oswaldo Aranha um caldeirão.

O torcedor lotou o ginásio e incentivou o time alegretense que iniciou o jogo ligado em 220 volts. Sem poder contar com seu treinador que estava cumprindo suspensão automática, restou ao preparador físico Alonso Medeiros comandar a gurizada.

Logo de início o Real foi para cima do Alta Tensão Futsal. O rápido e habilidoso Nathan foi logo incendiando a partida. De dono do pedaço, a Sociedade Esportiva fazia triangulações que deixavam o adversário acuado. Em bela jogada ensaiada o valente Gustavo ampliou 2 a 0 para o Real.

Em meio a substituições a ATF tentou se reencontrar no jogo, mas era o Real que criava as melhores chances de gol. De muita intensidade os donos da casa tinham na torcida a força que faltava. Em quadra o time de Alegrete foi aguerrido e disputava cada bola com muito vigor.

]Faltando 9 minutos para o fim do primeiro tempo, o Real cometeu erros de passes e desperdiçou muitas jogadas. A ATF até tentou aproveitar a desatenção, mas coube ao craque Marco Antônio que a recém havia entrada em quadra, acertar um chutaço do meio da quadra, 3 a 0 Alegrete.

Implacável o Real amassou o time de Santa Vitória do Palmar. Inspirado o ala Meia marcou o quinto gol alegretense e Pablo Witt fez o 6 a 0 para delírio da torcida da SER Real. Pecando na marcação o Real deixou a ATF criar oportunidades no ataque. De boa movimentação e um domínio de bola o pivô Gue Gue desequilibrou e anotou quatro gols para o time do litoral sul.

A primeira etapa encerrou em 6 a 4 para o representante alegretense na Liga Gaúcha de Futsal. A etapa final foi tensa. Um Real que sentiu o desgaste físico devido a intensa correria no início do jogo. A disputa pegou fogo. A ATF voltou renovada e buscou o empate em 6 a 6, capitaneada pelo atleta Gue Gue que deu trabalho ao Real.

Teve expulsão, cartões amarelos e muitas faltas ríspidas. Pior para os visitantes que sofreram o 7 a 6 faltando oito minutos para o fim do jogo. Truncado e catimbado o jogo trepidou o ginásio. Aos gritos de Real Real, a torcida empurrou o time para o gol derradeiro. E ele não demorou a sair. Com os limites de faltas estourados ambas equipes buscaram o tiro livre. E deu Real numa falta violenta sofrida após passar o meio da quadra, o time alegretense teve o tiro livre em seu favor.

Experiente e de bom chute Pablo Witt retornou a quadra e acertou um petardo indefensável, 8 a 6 faltando menos de dois minutos para o fim. Era o gol que consolidava não só uma vitória mas sim um trabalho de um grupo que por vezes foi desacreditado no projeto audacioso de recolocar Alegrete no cenário do futsal gaúcho.

O Real está matematicamente classificado a próxima fase da Liga. Com a vitória foi a 9 pontos em seis jogos. Restam dois compromissos. Dia 29, vai a Pelotas encarar o time de Daniel Carvalho e Cia, e dia 6 de julho retorna a Pelotas contra o Brasil.

A liderança da chave segue com o Pelotas 15 pontos e 6 jogos, em segundo está o Cruzeiro de Canguçu com 15 e 7 jogos, venceu a ABF ontem (22), por 4 a 2. A ATF soma 4 pontos em 6 partidas e a ABF tem 4 e sete jogos, é lanterna da chave “D”.

Próximos Jogos:

29 de junho – 

ATF x Cruzeiro

Pelotas x Real

6 de julho –

ABF x Real

ATF x Pelotas

Júlio Cesar Santos                               Fotos: Roger Severo, Vera Pedroso e Henrique Pillar

Compartilhe
  • 315
  •  
  •  
  •  
  •  
    315
    Shares

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*