Entraves burocráticos emperram a construção do novo Presídio

A construção do estabelecimento penal às margens da ERS 566, cujo canteiro de obras está abandonado, ganhou um capítulo a mais. Depois de travar por duas vezes, uma pela desistência da empresa na primeira licitação e depois por não haver empresas habilitadas. A noticia é de que a verba continua existindo.

Em agosto de 2015 foi anunciada, a época, pela primeira, vez a recuros de 13 milhões de reais para a obra. Por enquanto existe só a área junto ao Corredor dos Papagaios.

Presídio

O Gabinete da Casa Civil do Governo do Estado confirmou, esta semana, a prorrogação para utilização do recurso, agora de mais de R$17 milhões para construção de uma nova estrutura prisional em Alegrete. A luta para construção do novo presídio já passou por várias tratativas desde audiência no Palácio Piratini em 2008, com a participação de uma comitiva de Alegrete, além de audiência junto ao Poder Judiciário.

O administrador do presídio local,Rogério Fernandes de Abreu disse que agora tem que ser feita uma nova planilha de custos,ou seja, toda a parte burocrática. ” A verba existe e é do Fundo Penitenciário Nacional, esclarece. O que falta é avançar nesta parte burocrática.

presidio-teto

Para o presidente da Frente Parlamentar formada para acelerar a construção do novo presídio, Celeni Viana, a grande missão foi mobilizar forças políticas e sensibilizar o Governo Federal a novamente dilatar o prazo para o uso dos 17 milhões destinados à obra.

A nova casa prisional de Alegrete que deverá ser construída no corredor dos Papagaios terá uma área de 6.200 m².  Na nova e moderna planta, modulada, com capacidade para 286 apenados, número quatro vezes maior do que a capacidade do atual presídio, localizado na Avenida Eurípedes Brasil Milano.

 

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *