Familiares contestam versão de testemunha do desparecimento de homem no Rio Ibirapuitã

A filha de Luiz Antônio Severo da Silva (vulgo “Mano”), 49 anos, desaparecido desde a tarde da última quarta-feira (06), fez o registro de desaparecimento do pai no início da noite desta quinta-feira (07).

Conforme o registro, as roupas que foram encontradas nas pedras à beira do Rio Ibirapuitã são de Luiz Antônio. Ela ainda refere que recebeu informação de que a Brigada Militar havia sido informada de que um corpo estaria boiando no local do desaparecimento e que, ao ir verificar, os policiais não avistaram nada na água, só viram uma mulher e um homem com uma bicicleta branca saindo do local. A filha solicitou à Polícia Civil que ouça a testemunha do desaparecimento.

Hoje pela manhã, a equipe do PAT foi acompanhar o início das buscas com mergulhadores no Rio Ibirapuitã e encontrou a família de Luiz Antônio acompanhando o trabalho dos Bombeiros.

Parte da família de Luiz Antônio acompanha as buscas.

Uma familiar do homem conta que a família não acredita na versão da testemunha, de que ele estaria bêbado e entrado na água para tomar banho. “Liguei para ele por volta das 13 horas e ele estava bem, sóbrio. Não acredito que às 15 horas ele já estivesse bêbado”, contesta ela.

Já o irmão do desaparecido, não acredita que o homem tenha entrado no rio para tomar banho, já que ele não tem por hábito fazer isso e nem sabe nadar.

Familiares de Luiz Antônio.

As buscas com mergulhadores vindos de Porto Alegre começaram no início da manhã desta sexta-feira (08) e deve seguir até o meio-dia. Caso não encontrem o corpo, trabalho recomeça no início da tarde.

Compartilhe
  • 325
  •  
  •  
  •  
  •  
    325
    Shares
Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*