Feminicídios aumentam 40,9% de 2017 para 2018 no RS, segundo dados da Secretaria de Segurança

Ano de 2017 teve 83 casos registrados, e em 2018 foram 117. Outros índices de violência contra a mulher também tiveram aumento, como estupro: 3% e feminicídio tentado: 9,5%.

Em 2018, 117 mulheres foram mortas no Rio Grande do Sul com seus casos enquadrados dentro do crime de feminicídio, em razão do gênero. O dado foi divulgado nesta quarta-feira (9) pela Secretaria de Segurança Pública, e é 40,9% maior que o de 2017. No ano anterior, foram registradas 83 ocorrências.

De novembro para dezembro de 2018, o aumento de feminicídios foi de 100%. Foram oito casos contra 16.

“A gente precisa mudar uma cultura, a gente vai levar gerações para mudar essa cultura. Isso é uma questão que começa na escola”, avalia a delegada Shana Luft Hartz, nova diretora do Departamento Estadual de Proteção a Grupos Vulneráveis (DPGV), que inclui as Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deams).

A delegada afirma ainda que, muitas vezes, o histórico de agressões pelas quais a mulher vítima passou antes do feminicídio fica à margem da lei, porque ela não se sente encorajada a denunciar. Ao mesmo tempo, reconhece que o acolhimento ainda não é o ideal.

“Estamos trabalhando na criação de uma delegacia especializada no atendimento de vulneráveis. A gente sabe que padecemos muito ainda na questão do atendimento, mas há uma intenção de melhorar”, garante Shana, prometendo fortificar a rede.

Outros crimes dentro dos indicadores de violência contra a mulher, levantados mês a mês pela SSP, apresentaram aumento em 2018, como estupro: 3% e feminicídio tentado: 9,5%.

Tiveram queda de 2017 para 2018 os crimes de lesão corporal (-4,9%) e ameaça (-0,8%).

Sobre o aumento no índice de estupros, a delegada diz que, neste caso, não significa que o crime em si está aumentando, mas sim, que está tendo uma notificação maior.

“Os dados são muito menores do que realmente acontecem. Temos toda a questão dos crimes que acontecem dentro de casa, que ficam escondidos”, estima Shana.

Crimes de violência contra a mulher

Crime20182017Porcentagem
Feminicídio consumado1178340,9%
Feminicídio tentado3553249,5%
Estupro1.7121.6613%
Ameaça37.62337.946-0,8%
Lesão corporal21.81522.960-4,9%

Fonte: SSP/RS

Diversos casos de violência contra a mulher são registrados pelo G1 RS, ano a ano. No fim de 2018, uma mulher foi morta a facadas na frente de casa em Cachoeirinha.

No mesmo mês, um policial militar foi preso em flagrante suspeito de matar a ex-companheira a tiros em Porto Alegre. Michele Pires, de 35 anos, foi assassinada dentro do próprio apartamento.

Em novembro, outra vítima foi morta da mesma maneira, em Passo Fundo. Nos dois casos, os companheiros foram apontados pela polícia como autores. Na Região Norte do estado, o homem confessou o crime.

Também em novembro, outra mulher foi esfaqueada e morreu, em Pelotas. A delegada responsável apontou o companheiro dela como autor, assim como nos outros casos.

Policial militar afastado é suspeito de matar a ex-companheira — Foto: Reprodução/RBS TV

Policial militar afastado é suspeito de matar a ex-companheira — Foto: Reprodução/RBS TV

Outros crimes

Além dos dados de violência contra a mulher, a SSP também divulga outros indicadores criminais. Neste caso, são 16 crimes analisados. De 2017 para 2018, os latrocínios – roubos seguidos de morte – caíram quase 30%, e os roubos a bancos aumentaram 20% no estado. Leia a matéria completa sobre esses dados.

Fonte; G1

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*