Fernanda Melchionna, alegretense, bibliotecária e política por natureza


Fernanda Melchionna e Silva nasceu em  Alegrete no dia 2 de fevereiro de 1984.

O interesse pela política iniciou aos 13 anos e, hoje, aos 33 anos acumula uma experiência política enorme. Foi a vereadora mais votada de Porto Alegre.  Em Alegrete, participou, ao lado do pai Raul Silva da Silva, da implantação do Partido dos Trabalhadores.

Trabalhou como bancária no Banrisul, formada em biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul(UFRGS), foi extremamente atuante no diretório acadêmico e no Diretório Central de Estudantes.

Identificada com movimentos sociais, em 2008, Fernanda elegeu-se vereadora na Capital do RS, com 2.984 votos; em 2012 recebeu 7.214 votos, a melhor marca entre as mulheres eleitas; e, em 2016, foi a candidata à vereadora mais votada de Porto Alegre,com 14.630 votos, ficando mais de mil votos à frente do segundo colocado, que recebeu 13.551 votos.

Fernanda se destacou defendendo pautas ligadas ao transporte coletivo, como a redução de tarifa, o passe-livre e a melhoria do serviço, e os direitos humanos.

Em parceria com o vereador Pedro Ruas, também do PSOL, foi a autora do projeto que rebatizou a Avenida Presidente Castelo Branco como Avenida da Legalidade e da Democracia. A alegretense presidiu a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal em 2013.

Combativa, Fernanda aos 14 anos já era militante no movimento da juventude do PT. Em Alegrete, estudou no Oswaldo Aranha e Emílio Zuñeda. A luta em defesa dos direitos por uma escola pública foi sua primeira bandeira na adolescência. Já dentro da UFGRS, continuou atuante. Em 2013, integrou a construção do PSOL. Formou a 1ª bancada do partido na Câmara da Capital gaúcha junto com Pedro Ruas.

A alegretense conta que desde pequena aprendeu combater a corrupção dos políticos, lutar pela escola pública, moradia e direitos humanos. A vereadora mais votada de Porto Alegre, teve projetos aprovados vinculados aos movimento sociais. Destaque para redução da tarifa do transporte público, Projeto Área Moradia, beneficiando 25 mil pessoas e diversas demandas pautam o trabalho da alegretense na Capital.

Nestas eleições, ela vai alçar vôos mais altos. Acredita que chegou a hora decrecusariam representação em nível nacional. Com familiares em Alegrete, Fernanda sempre quando pode retorna à cidade natal. Confiança, trajetória de combate à corrupção, ela quer ouvir à população e fazer política como sempre fez. Alicerçada nos pilares que seu saudoso pai Raul tanto lhe ensinou.

A entrevista foi em um local público. Assim, como Fernanda tem pautado sua trajetória. No Quiosque da Praça Getúlio Vargas, um cafezinho no capricho, e a batalhadora política alegretense contou um pouco de sua carreira e vida como uma eterna militante.

Júlio Cesar Santos                                                      Fotos: Acervo pessoal

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

3 Comentários

  1. Sempre achei, um absurdo trocar o nome da Avenida Presidente Castelo Branco, para Avenida da Legalidade e Demogracia, com tantos problemas a ser resolvidos, alguns políticos perderem tempo com progetos como esse. Alguém me provem o contrário, o que essa mudança trouxe em benefícios aos gauchos?

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*