Fila de carrinhos de supermercado, na General Vitorino, retrata o desleixo de clientes

Em maio deste ano a reportagem elencou a situação dos carrinhos de supermercados espalhados pela cidade. Não foi a primeira abordagem nem seria a última segundo os índices alarmantes de sumiço dos carrinhos. Porém a ação dos gerentes locais havia de certa forma inibido e colaborado para o drástico número reduzir.

Nesta quarta-feira (26), mais uma cena que retrata a difícil conscientização de manter os carrinhos na área dos supermercados. Passava das 8 h 30 min, ou seja, trinta minutos que as lojas de supermercados haviam iniciado o movimento e lá estavam enfileirados meia dúzia de carrinhos numa calçada da Rua General Vitorino, frente a um prédio residencial e comercial.

A cena é corriqueira e está impregnada no cotidiano da cidade e é visível a presença de carrinhos dos supermercados espalhados por ruas centrais e até em bairros do município. Em alguns locais é possível notar carrinhos dentro de prédios e casas.

Conforme estimativa coletada nos três supermercados da região central, a média é de 6 a 10 carros por semana que não voltam aos estabelecimentos. Diversas ações estão sendo executadas pelas lojas da Peruzzo Venâncio Aires, Vivo da Joaquim Nabuco e Nacional Supermercados afim de coibir essa prática.

Na Peruzzo, o gerente Márcio Marchezan, idealizou uma planilha para contagem diária da frota de carrinhos. Baseada nessas anotações verificou-se que diminuiu drasticamente o extravio de carros. Mas, Marchezan ressalta que a conscientização está bem melhor que meses atrás. Um banner na entrada da loja despertou a atenção de clientes e colaboradores. O gerente destaca que foram disponibilizadas mais pessoas para recolher os carrinhos, tanto no estacionamento como nas adjacências da loja.

Da Vivo Supermercados, o gerente Jeisson Lisboa, revela que numa menor proporção os carrinhos estão desaparecendo. Lisboa conta que já teve meses que a falta de carros comprometeu o atendimento na loja, mas atualmente tem se conseguido recuperar carros até quatro quadras longe da loja. Colaboradores buscam carrinhos espalhados ao redor da Vivo, todos os finais de turno. Uma ação interna foi o diferencial para o recolhimento. Uma estratégia da loja com orientações ao cliente, contribuiu de forma positiva para manutenção dos carrinhos na área do supermercados.

No Nacional, o problema dos carrinhos espalhados pelas proximidades é diário. O gerente Fabrício Doyll, revela que seguem sumindo carrinhos. A loja investiu em novos modelos de carros e os pequenos estão proibidos de sair dentro da loja. Já os maiores tem acesso livre para facilitar o transporte das compras e acabam quase a duas quadras da loja.

Por ser mais próximo ao centro comercial da cidade, o Nacional registra um número maior de carrinhos espalhados pelas ruas. O gerente colocou uma equipe se reveza na busca dos carros pelas ruas centrais.

Com mais de 2 mil clientes/dia, o esforço de trazer os carros para as lojas é feito diariamente pelos colaboradores. Alguns ficam extraviados e acabam não voltando para o lugar de onde não deveriam de ter saído, devido ao hábito do cliente em não retornar com o carrinho para loja onde efetuou suas compras.

Júlio Cesar Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *