Fofinho lanches, uma receita de muito sabor e longevidade

Olhar sereno, rosto marcado pelo tempo e muita simpatia. Este é Luis Claudio de Souza, do Fofinho lanches.

Aos 79 anos é de impressionar a agilidade e disposição para trabalhar. De Palmeira das Missões, ele veio para Alegrete em 1959, servir no 10º B Log e brincando diz: “bebi água do Ibirapuitã e há 42 anos faço lanches aqui na praça Getúlio Vargas”.

Das 14h às 18h, quando está no local, se desdobra para atender os clientes, alguns de “carteirinha”. Um é Carlos Emílio Merchiades, 51 anos, que desde guri saboreia os lanches do Fofinho. “O pastel é o carro chefe diz e a receita ele fez e jogou fora.”

Enquanto não está atendendo e fazendo os lanches, Luis está em casa, na Vila Nova, fazendo as massas caseiras e molhos que utiliza.

E nesta rotina que já vai para mais de quatro décadas, ele criou três filhos, sobrinho e, agora ajuda os netos. E conta feliz, “com meu trabalho também comprei casa e tenho carro”.

A noite uma das filhas assume e faz tudo o que aprendeu com o pai ao longo destes anos em que, com dedicação, humildade e muito trabalho, conquistou o paladar de muitos alegretenses.

Entre um lanche e outro, seu Luis fez até uns versos para dizer o quanto gosta e porque adotou de alma e coração o Alegrete para viver.

Vera Soares Pedroso

 

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*